Início Empresas Aéreas Em abril, queda de demanda da Azul foi de 11,8% frente a...

Em abril, queda de demanda da Azul foi de 11,8% frente a março

A Azul Linhas Aéreas apresentou, na noite da segunda-feira, 10 de maio, seus resultados de tráfego referentes ao mês de abril de 2021, mostrando uma já esperada contração nas viagens domésticas, assim como vimos há poucos dias nos resultados da Gol Linhas Aéreas, porém, um significativo crescimento no segmento internacional.

Tomando, entretanto, como base de comparação a Gol, nota-se que a Azul foi menos impactada pela contração mensal do mercado doméstico em abril, repetindo o que havia acontecido no mês de março. Nos dados, a Azul apresenta quedas na faixa de 10% a 20% em sua demanda e sua oferta, enquanto na Gol os indicadores tiveram quedas entre 30% e 40%.

Apesar das contrações mensais, a companhia destaca que sua oferta doméstica se mantém em 80% sobre o período anterior à pandemia. John Rodgerson, CEO da Azul, fez o seguinte comentário sobre os resultados deste último mês:

“Em abril, seguimos gerenciando ativamente a capacidade de acordo com a demanda, que foi impactada pela segunda onda da pandemia COVID-19 e pelas medidas de quarentena implementadas em todo o país. Apesar desses desafios, nossa malha exclusiva combinada com a flexibilidade de nossa frota, permitiu uma recuperação de 80% da nossa capacidade doméstica [em relação ao pré-Covid], que é uma das maiores taxas de recuperação do mundo. As tendências recentes são positivas e a recuperação da capacidade irá acelerar nos próximos meses”.

Veja a seguir os resultados apresentados pela empresa aérea, tanto mensais quanto sobre o ano 2019 anterior à pandemia.

Evolução mensal

Os números de abril de 2021 da Azul em relação a março deste mesmo ano apresentaram as seguintes variações.

Passageiros-quilômetro transportados (RPK)

O indicador de demanda RPK, que representa o resultado da multiplicação entre o número de passageiros transportados e o número de quilômetros voados, contraiu-se 11,8% de março para abril deste ano no mercado doméstico da Azul. Em março o valor havia sido de 1,453 bilhão, e passou a 1,281 bilhão em abril.

Na Gol, esta contração havia sido de 36,0%, passando de 1,154 bilhão de março para 739 milhões em abril.

No mercado internacional, porém, o crescimento mensal foi significativo, embora o total ainda seja bastante acanhado em relação ao mercado doméstico, em função das restrições de fronteiras. O RPK aumentou 105,7%, passando de 35 milhões em março para 72 milhões em abril.

Assentos-quilômetro oferecidos (ASK)

O indicador de oferta ASK da Azul, que representa o resultado da multiplicação entre o número de assentos disponíveis e o número de quilômetros voados, diminuiu de 2,028 bilhões em março de 2021 para 1,622 bilhão em abril, mostrando que a Azul cortou sua oferta em 20,0% mês a mês.

Com esse corte de 20% nos assentos ofertados sendo maior que a redução de 11,8% na demanda de passageiros vista acima, a Azul elevou sua taxa de ocupação para 79,0%, frente a 71,7% em março.

Comparativamente, os dados da Gol mostraram que a companhia cortou em 44,5% seus ASKs, passando de 1,609 bilhão em março para 893 milhões em abril de 2021, e com isso atingindo taxa de ocupação de 82,8% em abril, contra 71,8% em março.

No internacional, o ASK da Azul aumentou 103,2%, passando de 31 milhões em março para 124 milhões em abril. Esse aumento de oferta de assentos bastante próximo do aumento de 105,7% na demanda de passageiros visto acima resultou em taxa de ocupação estável, saindo de 57,3% em março para 58,0% em abril.

Evolução sobre o pré-Covid

A Azul apresenta seus resultados em relação a abril de 2019 para permitir uma avaliação de seu tráfego em relação ao período pré-Covid, visto que 2020 estava com valores completamente afetados pela pandemia. Assim, a comparação de abril de 2021 com abril de 2019 ficou conforme apresentado a seguir.

Passageiros-quilômetro transportados (RPK)

Em relação a 2019, a demanda pelos voos da Azul esteve contraída em 24,4% no mercado doméstico neste mês de abril. Eram 1,695 bilhão de RPKs, contra os 1,281 bilhão neste último mês.

No segmento internacional, a contração ainda é muito expressiva, de 84,7%. Eram 470 milhões de RPKs em abril de 2019, frente aos atuais 72 milhões neste ano.

Assentos-quilômetro oferecidos (ASK)

A oferta doméstica, por sua vez, esteve reduzida pela Azul em 19,9% em relação ao período pré-Covid, mantendo-se em cerca de 80% do pré-Covid, conforme comentado por John Rodgerson. Eram 2,024 bilhões de ASKs em abril de 2019, em relação aos 1,622 milhão de ASKs em 2021.

No internacional, a forte redução de oferta da Azul ainda ficou em 77,1%, passando dos 541 milhões de ASKs em 2019 para os 124 milhões em abril desse ano.

Com informações da Azul Linhas Aéreas

Sair da versão mobile