Início Empresas Aéreas

Grandes empresas aéreas vão banir passageiros que se recusarem a usar máscaras

As principais empresas aéreas dos EUA, irão banir passageiros que se recusarem a usar máscaras de proteção nas viagens aéreas, de acordo com novas regras divulgadas no último dia 15 de junho.

No dia 15 de junho, a Airlines for America (A4A), organização comercial do setor que representa as principais companhias aéreas americanas, divulgou que as empresas aplicarão vigorosamente políticas relacionadas ao uso de máscaras para cobertura do rosto, e atuarão com rigor no cumprimento das regras, conforme divulgado no portal da A4A.

O uso de máscara de proteção é um elemento crítico entre as múltiplas barreiras que as transportadoras A4A estão implementando para mitigar riscos e proteger passageiros e tripulações, destaca a A4A.

Embora muitas companhias aéreas tenham introduzido regras obrigatórias para a utilização de máscara facial no início de maio, logo veio à tona o fato de que elas tinham pouco poder para aplicar essas políticas. Os comissários de bordo da American, Delta e United foram informados de que não tinham o poder de forçar os passageiros a usar máscaras faciais, e quem se recusasse a cumprir as regras não poderia ser proibido de embarcar, ou removido da aeronave.

A partir de então, as companhias aéreas presenciaram um aumento significativo no número de passageiros que se recusam a usar máscara ou simplesmente a removem assim que entram na aeronave.

Desde abril, autoridades de saúde americanas recomendam o uso de máscaras faciais ou proteções faciais em espaços públicos fechados, onde o distanciamento social se torna complicado. Embora as evidências não sejam concretas, o pensamento científico crescente é de que as coberturas faciais podem ajudar a impedir a transmissão do novo coronavírus.

Mas, apesar das companhias aéreas americanas disponibilizarem máscaras faciais gratuitamente no portão, e o Departamento de Transportes (DoT) adquirir até 100 milhões de máscaras para serem distribuídas aos passageiros nos aeroportos do país, um número crescente de viajantes simplesmente se recusa a usar as máscaras.

As medidas

Assim, de acordo com o A4A, as empresas: Alaska Airlines, a American Airlines, a Delta Air Lines, a Hawaiian Airlines, a JetBlue Airways, a Southwest Airlines e a United Airlines implementarão as seguintes atualizações de política em relação a proteções faciais:

  • Comunicação antes do embarque: cada companhia aérea deixará clara sua política de utilização de proteção individual junto aos clientes antes do embarque, a eles, durante o processo de check-in, poderá ser exigido que tomem ciência quanto as regras específicas da companhia.
  • Anúncios a bordo: a bordo da aeronave, os membros da tripulação anunciarão detalhes específicos sobre a política de uso de proteção facial da companhia, incluindo as consequências que os passageiros podem enfrentar por violar a política.
  • Casos de não cumprimento: cada transportadora determinará as consequências apropriadas para os passageiros que não estiverem em conformidade com a política de uso da proteção facial da companhia, o que inclui a suspensão de privilégios de voo nessa companhia aérea.

“As companhias aéreas levam muito a sério a exigência de coberturas faciais em seus voos. As operadoras estão intensificando a aplicação das proteções faciais e implementando ações substanciais para aqueles que não cumprem as regras”, disse o presidente e CEO da A4A, Nicholas E. Calio.

Prevê-se que as medidas continuem em vigor durante a crise de saúde pública do novo coronavírus.

Sair da versão mobile