“Aéreas serão responsabilizadas”, diz Joe Biden após cancelamento massivo de voos

O presidente dos EUA, Joe Biden, subiu o tom com as companhias aéreas após o cancelamento em massa de voos em pleno feriado de natal.

Divulgação – Embaixada dos EUA em Moscou

A maior parte do problema foi gerada por uma das piores nevascas que já atingiram o norte dos EUA, a qual já matou, até agora, 70 pessoas naquele país. Porém, o problema se tornou imenso nas companhias aéreas, em especial na Southwest Airlines, que cancelou ontem 70% dos seus voos.

A empresa texana chegou ao seu pior dia ontem, com quase 3 mil voos cancelados, um número superior ao que cancelou em todo o último semestre de 2019, antes da Pandemia do coronavírus.

O problema na Southwest, segundo análises da empresa, se deu por causa de seu software de escala de tripulantes. Com os cancelamentos causados pela neve, o antigo sistema, que não opera com dados em tempo real, julgou que algumas tripulações haviam excedido o tempo regulatório de trabalho ou estariam em outros aeroportos.

Com isso, um efeito dominó foi se criando, já que, apesar de ter avião disponível, tripulação pronta e passageiros esperando, os voos não eram gerados pelo sistema, impedindo a criação da documentação, plano de voo e até a própria lista de passageiros.

A Southwest teve que reduzir suas operações e montar manualmente a escala de voos, ligando para cada tripulante individualmente para saber onde estava, quanto tempo de jornada tinha disponível. Porém, vários passageiros foram afetados e a empresa não tem acordo de remarcação com outras companhias aéreas, fazendo com que fosse oferecido, para muitos viajantes, apenas voos disponíveis do dia 31 em diante.

As reclamações também incluem espera de até 6 horas no telefone do call center, aplicativo não funcionando e horas nas filas dos aeroportos, ocorrendo o mesmo para atendimento para os próprios funcionários. Diante disso, várias pessoas começaram a reclamar com o Departamento dos Transportes para que alguma atitude fosse tomada. A agência local de aviação, a FAA, e o Secretário do Departamento, Pete Buttigieg, também foram citados por várias pessoas.

Após quase um dia inteiro de silêncio, Buttigieg falou que daria mais detalhes e, durante uma entrevista na CNN, disse que a Southwest será responsabilizada e que gostaria de ver as outras empresas aéreas “fazendo uma tarifa social” para ajudar os passageiros da concorrente.

Já o Departamento de Transportes disse que o número de cancelamentos da Southwest é inaceitável e que eles estão analisando quais voos tiveram problemas pela nevasca e quais foram por causa da própria companhia aérea.

O presidente dos EUA, Joe Biden, tuitou que “nosso governo está trabalhando para que as empresas aéreas sejam responsabilizadas. Confira junto ao DOT se você tem direito a reembolso e/ou compensação financeira”.

Chamou a atenção que Biden não citou a Southwest e generalizou a situação, apesar das outras empresas aéreas estarem com seis vezes menos voos cancelados, algo dentro do esperado e visto historicamente em nevascas.

Nos EUA, problemas causados por meteorologia ou manutenção não configuram direito à alimentação, hotel ou transferência de companhia aérea, sendo que a empresa tem apenas que oferecer reembolso integral e/ou acomodar no seu próximo voo disponível.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

ATSA será a primeira operadora do Dash 8-400 LCD na América...

0
A De Havilland Aircraft of Canada anunciou hoje que a peruana Aero Transporte SA (ATSA) assinou um contrato firme para a conversão