Aeronave da Airbus vem à América do Sul para tentar um voo, sem motor, até o limite do espaço

Imagem: Perlan Project

Abrindo caminho para uma tentativa de estabelecer, nos próximos meses, na América do Sul, um novo recorde mundial de altitude de aviação em voos tripulados e nivelados, a Airbus Perlan Mission II, a primeira iniciativa do mundo para pilotar uma aeronave sem motor até o limite do espaço, concluiu com sucesso uma campanha de teste de voo nos EUA.

O planador pressurizado Perlan 2, que estabeleceu o recorde mundial subsônico de altitude em mais de 76.000 pés (23.164 metros) em 2018, partiu ontem, 1º de maio, dos EUA para uma longa viagem até El Calafate, na Argentina.

E será lá, acima dos Andes patagônicos, onde as condições atmosféricas são ideais, que os pilotos e engenheiros especializados da organização sem fins lucrativos Perlan Project tentarão voar o planador experimental até seu teto de 90.000 pés (27.432 metros).

A aeronave é capaz de voar sem motor para suas altitudes recordes graças a correntes de ar muito raras conhecidas como “ondas de montanha estratosféricas”, que se formam quando os ventos das montanhas são fortalecidos pelo Vórtice Polar.

Imagem: Perlan Project

A equipe do Airbus Perlan Mission II, composta por alguns dos pilotos de teste mais celebrados da indústria da aviação e cientistas climáticos de renome mundial, conduzirá sua campanha de voo de 2023 do final de julho até meados de setembro, quando ondas montanhosas estratosféricas são mais prováveis de ocorrer no hemisfério sul.

Depois de estabelecer vários recordes sucessivos em anos anteriores, a equipe fez uma pausa durante a pandemia de COVID-19, e agora está de volta a todo vapor.

“Na última década, estivemos em uma aventura emocionante para inspirar, educar e explorar a estratosfera, e a Airbus tem sido uma grande parceira nesta jornada, pois juntos tentamos, e alcançamos, o que era aparentemente impossível”, disse Ed Warnock, CEO do The Perlan Project.

“Se um planador, que é uma aeronave totalmente de emissão zero, puder se tornar a aeronave com voo mais alto de todos os tempos, isso passa uma mensagem poderosa de que a descarbonização da aviação não é impedimento para a realização de voos, e pode até ser um facilitador”, disse C. Jeffrey Knittel, presidente e CEO da Airbus Américas.

Como uma plataforma de pesquisa que não emite gases de exaustão, o Perlan 2 é ideal para a pesquisa atmosférica de alta altitude que a equipe conduzirá para informar modelos mais precisos de mudanças climáticas.

A aeronave voará para altitudes onde o ar não é mais denso do que a atmosfera em Marte, proporcionando oportunidades únicas para estudos aerodinâmicos relacionados a turbulência, clima extremo e exploração espacial futura.

Imagem: Perlan Project
Imagem: Perlan Project

A aeronave também levará a bordo experimentos projetados por alunos por meio da parceria do Projeto Perlan e a metodologia STEAM – a sigla, em português, corresponde à Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática – com Professores no Espaço.

A Airbus iniciou seu patrocínio ao Projeto Perlan em 2014, facilitando a conclusão da construção do Perlan 2. O planador, descrito por Warnock como “uma cápsula espacial com asas”, está equipado com sofisticados sistemas de suporte à vida e instrumentação para garantir a segurança do piloto.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

IATA é convidada a colaborar no grupo de trabalho sobre redução...

0
O vice-presidente da IATA para Américas, Peter Cerdá, e o diretor de relações externas no Brasil, Marcelo Pedroso, assumiram o compromisso