Aeroporto Carlos Prates, em BH, ganha prazo extra antes de sua desativação

Aeroporto Carlos Prates – Imagem: Google Earth

Mesmo após moradores terem protestado, ao longo de dezembro, contra a ampliação do prazo para o fim das operações do aeroporto Carlos Prates, em Belo Horizonte, o local ganhou ao menos um pequeno “respiro”.

Antes prevista para acontecer nesta virada de ano, cogitava-se uma postergação da desativação do aeroporto por alguns meses, e ela agora foi confirmada até 1º de maio de 2022 por uma portaria do Ministério da Infraestrutura publicada na sexta-feira, 24 de dezembro, segundo informa o jornal Estado de Minas.

O motivo é o impasse quanto ao fim que levarão todas as empresas e aeronaves do local, incluindo aviões particulares hangarados, empresas de formação de pilotos e empresas de manutenção aeronáutica.

O Carlos Prates é o segundo mais movimentado de Minas Gerais em número de operação de aviões, de maneira que o aeroporto da Pampulha, apontado como a principal alternativa, não possui condição de receber tal movimento.

Os representantes de moradores vizinhos ao aeroporto, criado em 1944, defendem que o espaço seja destinado a uma área verde e um museu sobre a história do Carlos Prates. O tema foi discutido na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados no dia 16 de dezembro, a pedido do deputado Rogério Correia (PT-MG).

Na ocasião da discussão, o referido deputado citou que no dia 7 de agosto a comissão realizou uma diligência no local, “onde foi possível averiguar atraso na definição da destinação futura dos aeroclubes e a relevância ao interesse público da destinação do imóvel público, para implantação de equipamentos comunitários ou destinação social de acordo com as necessidades sociais da área e sua aptidão urbanística ao terreno, mitigando as necessidades dos munícipes, de maneira a aproveitar no potencial máximo a função social do imóvel público”.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

CargoJet

Pilotos voam Boeing 767 em emergência após o jato emitir diversos...

0
O jato estava em rota no nível de voo de 38 mil pés (11.600 metros) de altitude quando indicou uma advertência e depois algumas outras.