Aeroporto de Confins espera fechar 2021 com fluxo total de 7 milhões de passageiros

Imagem: BH Airport

A concessionária BH Airport comemora que o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte se manteve em evolução ao longo deste ano. Mesmo com os desafios impostos pela pandemia da Covid-19, foi possível, segundo a gestora, elevar a qualidade dos serviços prestados e retomar as operações.

Com o avanço do plano nacional de vacinação contra a doença e aumento da confiança das pessoas em viajar, a previsão é fechar o ano com fluxo de cerca de 7 milhões de passageiros, alta de 50% na comparação com o ano passado. A movimentação de cargas também seguiu em expansão e será de cerca de 30 milhões de toneladas, alta de 90% em relação ao ano passado.

“Apesar dos impactos globais trazidos pela pandemia, conseguimos superar as adversidades e registrar crescimento da nossa movimentação de pessoas e cargas em 2021. Investimos em ações para melhorar ainda mais a jornada dos passageiros no nosso terminal e seguimos em destaque entre os melhores aeroportos do país. Quem passa por aqui percebe nitidamente a melhoria na qualidade e no serviço oferecido. Atualmente, nós temos uma operação de classe mundial”, avalia Kleber Meira, CEO da BH Airport.  

Em 2021, o aeroporto completou sete anos sob a concessão da BH Airport, um período marcado pela transformação da infraestrutura e pelo fortalecimento do papel do terminal como indutor do crescimento e desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais.

Ao longo desses sete anos, foram registrados cerca de 730 mil pousos e decolagens e mais de 74 milhões de passageiros passaram pelo aeroporto. O total de investimentos foi superior a R$ 1 bilhão na ampliação e modernização das instalações.

O compromisso de oferecer a melhor experiência a passageiros e visitantes se mantém firme e, em novembro, o aeroporto entrou em uma nova etapa da reforma do Terminal de Passageiros 1, na sala de embarque. O projeto de modernização prevê a ampliação das áreas comerciais, assim como a revisão dos fluxos e processos – que englobam raio-X, check-in, restituição de bagagens, salas e portões de embarque. A estimativa é que essa etapa da reforma tenha duração de 14 meses. 

O objetivo das obras é oferecer ainda mais conforto e comodidade a passageiros, visitantes e toda a comunidade aeroportuária, bem como ampliar as áreas comerciais no terminal em 100%.

“A partir da reforma, o aeroporto entra em um novo patamar de excelência. Além de melhorar significativamente a eficiência operacional, as intervenções vão contribuir para oferecer um ambiente mais moderno e pronto para conectar Minas Gerais com os demais estados brasileiros e também com o mundo”, afirma Kleber. 

Evolução da malha aérea 

Ampliar a conectividade de Minas com o Brasil e mercado internacional se manteve como foco no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. Neste final de 2021, o terminal está em conexão com o mesmo número de destinos que tinha antes da pandemia da Covid-19. Com isso, passam a ser oferecidos, entre voos extras e regulares, 45 destinos.

Em 2022, o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte vai inaugurar dois novos destinos internacionais operados pela Eastern Airlines. A companha aérea confirmou o lançamento do voo para Miami, em março, e para Nova Iorque, em junho. As cinco frequências semanais serão realizadas em um Boeing 777-200 com duas classes de serviço: Econômica Premium e Econômica.   

Ao todo, serão três frequências semanais entre Miami e Belo Horizonte, a partir de 27 de março, e duas frequências semanais entre Nova Iorque-JFK e Belo Horizonte, a partir de 8 de junho.

“A inauguração desses dois destinos para os Estados Unidos é muito aguardada pelos mineiros e estamos confiantes na operação e manutenção dessas rotas, bem como lançamento de outros destinos”, ressalta Herlichy Bastos, diretor de Operações da BH Airport. 

Vale ressaltar que essa será a primeira vez que a companhia aérea fará voos regulares ao Brasil, bem como a capital mineira é a primeira cidade brasileira contemplada pela empresa.

“Disponibilizar o acesso a esses destinos, partindo do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é um ganho para todos os mineiros. Estamos sempre em negociação com as companhias aéreas para ampliar a conectividade de Minas Gerais com o mundo. A parceria com a Eastern Airlines é mais uma iniciativa que demonstra esse potencial do aeroporto”, afirma Herlichy.

Terminal de Cargas bate recorde de faturamento

Outro destaque é o Terminal de Cargas do aeroporto, que bateu recorde de faturamento em outubro. No mês foi registrada a maior receita do ano: R$ 3,8 milhões, 12% a mais que em setembro. O valor é ainda maior se comparado a outubro de 2020 (R$ 2,4 milhões) e até outubro de 2019 (R$ 2,6 milhões), ano anterior a pandemia da Covid-19.

Para o gestor de Soluções Logísticas Integradas, Marcelo Farias, o resultado é fruto do trabalho que vem sendo realizado para fortalecer o aeroporto como hub logístico multimodal. Nesse sentindo, a área de importação teve um incremento considerável e 72% das importações ocorreram pelo modal aéreo.

“Como planejamos, os produtos desenvolvidos no último ano estão gerando os frutos esperados. Apostamos também em setores estratégicos que seguem crescendo mesmo com os desafios enfrentados nos últimos dois anos, como o de ciências da vida, que tem um foco especial dentro do nosso hub logístico multimodal e uma solução tailor made (feita sob medida) para receber cargas especiais. Não posso deixar de mencionar a performance do nosso cargueiro regular, que conquistou a confiança do mercado mineiro, com ótima frequência neste ano de operação, e do Programa de Parceiros Logísticos, que multiplica oportunidades e clientes”, ressalta Marcelo.

O crescimento de outubro reflete também no resultado do ano que já soma R$ 35 milhões em faturamento, número maior que os valores de 2020, quando foi alcançada receita de R$ 31 milhões, e também de 2019, que fechou em R$ 27 milhões. Vale ressaltar que o montante de 2021 ainda não contempla a receita de dezembro.

Em 2021, o Terminal de Cargas ganhou, pelo menos, uma dezena de novos clientes de ciências da vida, grandes empresas e multinacionais. Dentre elas, segundo Marcelo, é possível destacar a operação de importação de insulina e vacinas, que movimentou uma quantidade significativa de contêineres refrigerados.

O futuro bate à porta

Para 2022, o aeroporto projeta a retomada da movimentação de pessoas e aeronaves, com retorno aos patamares pré-pandemia. Novas marcas estão sendo prospectadas para ampliar o mix de lojas e oferecer grandes nomes a passageiros, visitantes e toda a comunidade aeroportuária. A expectativa é de também incrementar os serviços do hub logístico e do Aeroporto Industrial.

 “O balanço do ano de 2021 apresenta resultados expressivos que reforçam a esperança de um novo cenário tanto no aspecto da saúde, quanto em relação à retomada econômica e social para 2022. Estamos confiantes na retomada do setor de aviação e de termos operações cada vez mais segura para todos”, conclui o CEO, Kleber Meira.

Informações da BH Airport

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

O avião criado para jamais ser usado, mas que está de...

0
Recentemente, no dia 28 de julho de 2022, pousou na Base Aérea de Brasília o Boeing E-4B Nightwatch, uma variante do versátil Boeing 747