Air Lease lança a prejuízo US$ 802 milhões em aviões alugados a aéreas russas

Imagem: Air Lease (Divulgação)

A gigante do leasing aeronáutico Air Lease informou que fará o write-off (lançará a prejuízo no balanço), o valor restante do arrendamento de 27 aeronaves que foram alugadas a empresas aéreas russas e não devolvidas. Segundo a empresa, o prejuízo chega a 802 milhões de dólares. Das aeronaves listadas, 21 são de sua propriedade e seis são gerenciadas.

“É improvável que a empresa recupere a posse das aeronaves que não foram devolvidas e que permanecem na Rússia”, disse a Air Lease em comunicado visto pela agência de notícias Reuters.

Segundo a Air Lease, a perda será refletida no balanço do primeiro trimestre de 2022, que será divulgado em maio. Será uma amortização total do valor dos contratos e, portanto, não devem haver gastos futuros. No entanto, a empresa disse que iniciou um processo para tentar reaver parte destas perdas junto a seguradoras e outros instrumentos financeiros.

A perda da Air Lease dá dimensão do quanto as companhias de leasing perderão nos próximos meses, em razão da nacionalização das aeronaves ocidentais pela Rússia, em meio às sanções ocidentais. O total esperado pelo setor em prejuízos chega a US$ 10 bilhões.

Os embargos colocados por Estados Unidos e Europa sobre a economia russa, após a invasão da Ucrânia, incluíam o cancelamento de todos os acordos que as empresas de leasing tinham com as companhias aéreas da Rússia e o respectivo pedido de devolução das aeronaves. No entanto, o país de Vladimir Putin alegou que não devolveria as aeronaves.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias