Airbus A340-300 vira o quebra-galho da Lufthansa enquanto o Boeing 787 não chega

Com as entregas do Boeing 787 suspensas, enquanto a Boeing atua para solucionar os recentes problemas estruturais encontrados em alguns de seus componentes, resta às empresas aéreas buscarem alternativas. É o caso da alemã Lufthansa, que agora espera receber o Dreamliner apenas no primeiro trimestre de 2022.

Imagem: Lufthansa

O site alemão aeroTELEGRAPH relembra como, em agosto, Carsten Spohr, CEO da Lufthansa, estava otimista quanto ao recebimento do modelo ainda nesse ano, antes do Natal e a tempo da empresa apresentar um produto novo. Ledo engano do Sr. Spohr. Passados três meses, a expectativa agora foi jogada lá para frente.

Indagado pelo noticiário alemão no começo do mês, o executivo já não falou mais com tanta certeza. Ao contrário, apenas disse que “do seu ponto de vista, os Dreamliners chegarão no primeiro trimestre de 2022”. No entanto, uma data limite para a paciência dos alemães foi colocada para o período de férias de verão (no meio do próximo ano), quando os aviões têm que estar disponíveis.

Enquanto ninguém sabe exatamente quando o Boeing 787 voltará a ser entregue, a Lufthansa usa as ferramentas que têm. Uma delas é manter o clássico Airbus A340-300 voando por mais um tempo. Apesar de ter uma operação muito mais custosa e ser menos amigável ao meio-ambiente, ele serve como um quebra-galho.

O atraso com os Boeing 787 fez a Lufthansa manter 17 A340 ativos. Para quem gosta de aeronaves da geração anterior é um prato cheio, mas para o “cara das finanças” da Lufthansa, isso significa margens mais curtas.

No total, o Grupo Lufthansa encomendou 25 Boeing 787-9. Ainda não foi totalmente esclarecido para quais empresas do grupo eles irão (alguns dizem que vários irão para a Austrian Airlines), embora saiba-se que as cinco primeiras serão da própria Lufthansa.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Um mês após parar de voar, Itapemirim manda dois aviões...

0
No início de janeiro, antecipamos com exclusividade as matrículas dos dois primeiros Airbus A320 da Itapemirim que seriam enviados