Início Empresas Aéreas

Airbus A380 da Emirates tinha 120 assentos vazios cada vez que decolava ao Brasil

No começo do mês de agosto, a empresa aérea Emirates, dos Emirados Árabes Unidos, trocou a aeronave da rota diária ligando São Paulo (Guarulhos) a Dubai, tirando o maior avião de passageiros do mundo, o Airbus A380, e colocando no lugar o Boeing 777-300ER.

Apesar de serem dois gigantes, em termos de capacidade de passageiros a redução foi significativa, pois, enquanto o A380 pode levar 516 passageiros, o Boeing 777 leva 356, ou 31% menos.

Analisando os dados de oferta e demanda do transporte aéreo no Brasil nos primeiros sete meses do ano, período em que o Airbus A380 esteve na rota, o AEROIN identificou uma distância entre eles, indicando o potencial motivo por trás da decisão da empresa de trocar o equipamento.

Na média, o A380 voou entre o Brasil e os Emirados, considerando voos de ida e volta, com cerca de 120 assentos vazios (sem passageiros pagantes) por voo. O resultado é obtido pela fórmula RPK / ASK (Revenue Passaengers per Km / Available Seats per Km). O quadro abaixo mostra os números reais da Emirates na rota (ida e volta).

O melhor mês foi julho de 2022, na alta temporada, quando os Airbus A380 voaram com cerca de 90 dos 516 assentos livres por voo. O pior mês, por sua vez, foi abril, quando mais de 200 assentos estavam livres em cada voo. Lembrando que o A380 é uma aeronave que requer uma alta taxa de ocupação para ser viável, segundo indicam suas empresas operadoras.

Oferecendo menos assentos com o Boeing 777-300ER, a Emirates pode não apenas ter um aproveitamento melhor, como também ter rentabilidade maior, já que os preços podem ser ajustados para cima (calibrados à demanda).

Nota: A análise acima desconsidera o efeito da carga de porão, que também se constitui um importante fluxo de receita para as empresas aéreas. No entanto, já que a companhia trocou o modelo do avião, resta claro que a carga não justificava a manutenção do modelo de maior capacidade.

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.