Início Indústria Aeronáutica

Airbus decide cancelar pedidos de aeronaves A350 da Qatar Airways

A briga entre a Airbus e a Qatar Airways sobre os problemas no A350 continua feroz, e a fabricante decidiu cancelar quatro encomendas da companhia árabe.

A disputa, que já está na área judicial, se prolonga por anos, mas esquentou mesmo quando a Qatar Airways levou a público, por meio de um vídeo, os problemas que estava tendo com os seus A350, onde a pintura desgastada dos aviões poderia representar um risco de segurança.

A Airbus, por sua vez, disse que os problemas são pontuais, que já aconteceram com outras empresas, mas foram resolvidos de maneira amigável e que não afetam a segurança.

Como tréplica, a Qatar alega que está sofrendo mais com o problema, por estar localizada numa zona desértica, diz que uma simples repintura não resolve o problema, e que isto toma tempo. Além do mais, a empresa árabe disse que não quer receber novos A350 até que a Airbus resolva o problema.

As coisas não se resolveram e, desde então, uma série de novas acusações foi trocada entre ambos os lados, até que a Airbus decidiu por cancelar de maneira unilateral o pedido de 50 jatos A321neo, como “revide” pela decisão da Qatar. Como “gasolina no fogo”, isso elevou ainda mais o tom da conversa.

Até que agora, como mais um desdobramento, a fabricante europeia fez outro movimento ao cancelar, novamente unilateralmente, um pedido de quatro aviões A350 que a Qatar tinha ainda a receber.

Segundo a Reuters, a Qatar perdeu na justiça o direito de recusar a entrega de novas aeronaves e a Airbus tem se aproveitado disso. A fabricante constrói os aviões, avisa que estão prontos para entrega e, com a companhia não querendo receber, ela cancela o pedido, aplica a multa e disponibiliza o avião para outra empresa interessada.

Desta maneira, já chegou a quatro no final de junho o número de A350 que foram fabricados e retirados da encomenda de 39 jatos A350-100 da Qatar, dos quais 19 já haviam sido entregues antes do problema com a pintura.

Sendo assim, a estimativa, que será confirmada quando a Airbus divulgar os dados de entregas em junho, é de que o pedido da Qatar tenha sido ajustado para 35 jatos A350.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
Sair da versão mobile