Airbus faz voo em formação com dois jatos A350 voando a apenas 3 quilômetros um do outro

A Airbus realizou a primeira demonstração de longo curso de voo de formação em espaço aéreo transatlântico regulado (GAT) com duas aeronaves A350 voando a três quilômetros de distância uma da outra. O voo partiu de Toulouse, França, a Montreal, Canadá. Segundo a fabricante europeia, mais de 6 toneladas de emissões de CO2 foram economizadas na viagem, confirmando o potencial para uma economia de combustível de mais de 5% em voos de longo curso.

Detalhes do voo

O voo de teste ocorreu em 9 de novembro de 2021 envolvendo duas aeronaves de teste A350, MSN1 e MSN59, a primeira como aeronave líder e a segunda como seguidora. Isso foi possível com os sistemas de controle de voo desenvolvidos pela Airbus, que posicionam a aeronave seguidora com segurança na esteira da aeronave líder, permitindo reduzir o empuxo do motor e o consumo de combustível. Um princípio semelhante pode ser observado com grandes pássaros migratórios, como os gansos, que voam juntos em uma formação distinta em forma de V.

Sabine Klauke, Diretora Técnica da Airbus, declarou: “Este voo de demonstração é um exemplo concreto do nosso compromisso em tornar realidade o nosso roteiro de descarbonização. Também mostra como a colaboração em toda a indústria será a chave para que isso aconteça. Recebemos um forte nível de apoio para este projeto de nossas companhias aéreas e parceiros de tráfego aéreo, além de reguladores. A oportunidade de implantá-lo para aeronaves de passageiros em meados desta década é muito promissora. Imagine o potencial se o fello’fly fosse implantado em toda a indústria”.

Pilotos das companhias aéreas parceiras da Airbus, Scandinavian Airlines e Frenchbee, testemunharam o voo transatlântico a bordo como observadores. O voo foi viabilizado pela Airbus e seus parceiros de gestão de tráfego aéreo e prestadores de serviços de navegação (DSNA, NATS, NAV CANADA, Eurocontrol e IAA), com o apoio da DGAC, que juntos comprovaram que a tecnologia de voo de economia de energia pode ser alcançado sem comprometer a segurança. A demonstração também mostra como as operações da Fello’fly podem aumentar significativamente o desempenho ambiental de aeronaves comerciais e contribuir para as metas de descarbonização da indústria da aviação no prazo imediato.

O próximo passo é obter o apoio das autoridades para que este novo conceito operacional possa ser certificado e, em última instância, permitir que as companhias aéreas reduzam o consumo de combustível e as emissões de CO2.

O voo pioneiro da Airbus Fello’fly foi recebido em Montreal pelo Presidente do Conselho e Secretário Geral da agência de aviação da ONU, ICAO. O Presidente do Conselho, Salvatore Sciacchitano, disse que a demonstração representou “um exemplo inspirador do nível de compromisso atual para reduzir as emissões da aviação”, enquanto o Secretário-Geral da ICAO, Juan Carlos Salazar, comentou sobre como ela refletia “a incrível diversidade de inovações em transporte aéreo que agora estão sendo realizadas para atender aos metas do setor e garantir que voar se torne cada vez mais sustentável. ”

Lançado em 2019, o Fello’fly é um projeto de demonstração de voo hospedado no Airbus UpNext usando biomimética (design e produção de materiais, estruturas e sistemas inspirados na natureza). A Airbus UpNext é uma subsidiária integral da Airbus e parte do ecossistema de inovação da Airbus, criada para dar um rápido desenvolvimento de tecnologias futuras através da construção de demonstradores em velocidade e escala, a fim de avaliar, amadurecer e validar novos produtos e serviços potenciais que abrangem avanços tecnológicos radicais.

Com informações da Airbus

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Azul vai voltar a voar entre Belém e os Estados Unidos...

0
A Azul Linhas Aéreas anunciará nesta quinta-feira, 11, a abertura da rota ligando Belém do Pará à Fort Lauderdale, na Flórida