Airbus quer bater de frente com a Boeing e colocar 194 passageiros num A320

Os planos para uma versão mais densa do A320 voltaram à mesa da Airbus, que fará mudanças para que ele leve mais passageiros do que o concorrente da Boeing.

Atualmente, os aviões rivais Boeing 737 e Airbus A320 estão em novas gerações, MAX e NEO, respectivamente, mas utilizam a mesma fuselagem das gerações anteriores, a Next Generation (NG) e a CEO.

Em todos os casos, os aviões têm limitações de assentos, que são definidas pela capacidade de evacuação da aeronave, medida em testes durante a certificação. Hoje, segundo a agência de regulação da Europa, o A320 pode levar até 180 passageiros e o 737-800 até 189, por ser um avião 2,4 metros mais comprido que o concorrente.

A nova versão do 737 MAX 8, o MAX 200, feita especialmente para a Ryanair, mas que já conquistou outros clientes, trouxe o número máximo de assentos do 737 para 197 passageiros com praticamente a mesma fuselagem do MAX 8 e do -800, mas a competitiva Airbus não quer ficar para trás.

Segundo revelou o jornalista Andreas Spaeth, a Airbus está para lançar a SpaceFlex V2, uma nova configuração interna que permitirá mais 14 assentos no A320neo, assim atingindo 194 passageiros, no máximo, por voo, bem próximo do MAX 200 e acima do 737 MAX 8 / 800.

Para isso, como mostra a apresentação da companhia na feira Aircraft Interior Expo, serão colocadas uma fileira com quatro assentos (dois de cada lado) na parte dianteira da aeronave, uma fileira tradicional de seis assentos na parte de trás com outra fileira especial, de quatro assentos, além da redução de um banheiro.

O espaço entre uma poltrona e outra irá para 28″ polegadas (71 cm). Para se ter uma ideia, a Azul hoje tem nas suas poltronas do A320neo uma distância de 76 cm e a LATAM tem 73 cm na mesma aeronave. Outro plano da Airbus é elevar a capacidade do A330-900neo de 440 passageiros para 465 em classe única, também com uma mudança na configuração interna.

A expectativa é que essas mudanças no A320 e A330 estejam disponíveis para o mercado em 2024 ou 2025, a depender da aprovação regulatória necessária.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Avião Boeing 767-300 americano fará um pouso inédito na Amazônia brasileira

0
No final do mês de agosto, o aeroporto internacional de Manaus, o principal do estado do Amazonas, receberá a visita inédita de um Boeing