Após acidente com avião da Amazon, alerta é emitido sobre ‘botão de arremetida’

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) alertou sobre o botão que comanda os motores para uma arremetida nos jatos Boeing 757 e 767, após um acidente com um avião da Amazon em 2019.

Divulgação – Amazon

O acidente ocorreu em fevereiro de 2019 e foi um dos poucos nos últimos tempos com perda total (e fatalidades) de um grande jato como o Boeing 767, modelo utilizado pela Amazon para sua rede aérea de entregas, a Prime Air. A aeronave era operada pela Atlas Air, uma das maiores companhias aéreas cargueiras do mundo.

O jato iria de Miami para Houston, mas acabou caindo numa área alagada no Texas enquanto atravessava uma tempestade, antes de chegar no seu destino. Faleceram os três tripulantes que estavam a bordo. O caso ganhou notariedade na época, já que semanas antes surgiram denúncias de fadiga e problemas nos treinamentos dos pilotos, o que foi parcialmente confirmado pelo relatório final, que apresentou comandos inversos feitos pelo Comandante e pelo Primeiro-Oficial (comandos inversos se anulam).

No entanto, antes destes comandos opostos, o botão de arremetida, que tem o nome TO/GA Switch foi ativado de maneira inadvertida. Por conta disso, a FAA emitiu, no final do mês passado, um alerta sobre isso.

O nome do botão é uma abreviatura de Take-Off / Go-Around, que significa Decolagem ou Arremetida. Ele basicamente aumenta automaticamente a potência para a máxima, de maneira a permitir que a aeronave tenha velocidade enquanto volta a ganhar altitude, seja para uma decolagem ou uma arremetida. No caso do avião da Prime Air, pelo fato da aeronave estar ainda em voo, este botão quando acionado coloca os motores numa “configuração” de arremetida, dando maior potência e fazendo com que o jato ganhe atitude.

Segundo a FAA, este acionamento inadvertido e a aceleração da aeronave, fizeram com que o piloto ficasse colado no banco (similar à uma aceleração repentina num carro), causando uma ilusão sensorial no co-piloto, que não tinha tantas referências visuais devido ao mau-tempo, levando-lhe a uma confusão mental que, possivelmente, levou a uma interpretação de que a aeronave estava subindo, e não apenas acelerando.

Esta confusão fez com que o co-piloto comandasse o jato para baixo sem necessidade, o que acabou derrubando o avião.

Agora, a FAA emitiu o alerta, já que a investigação aponta para o acionamento inadvertido do TO/GA Switch, que no caso dos jatos Boeing 757 e 767 fica “atrás” de onde o piloto coloca a mão para controlar a potência, bem ao alcance do dedo polegar:

G1xP3m6

A agência alerta aos operadores que façam uma instrução aos seus pilotos sobre o risco de acionamento inadvertido deste botão, e que reforcem o que levou a queda do avião.

Segundo o SeattleTimes, dados da própria Boeing e da NASA apontam que esta foi a primeira ocorrência registrada de acionamento indevido do botão TO/GA na família Boeing 757 e 767, que foi desenvolvida em conjunto e possui uma cabine de comando praticamente idêntica.

Fora estes jatos, foram registradas 11 ocorrências entre 1990 e 2017 de acionamento não-intencional do botão, mas nos aviões Boeing 737, 747, 777 e no Airbus A320.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Veja a chegada, ao aeroporto São Paulo Catarina, dos aviões de...

0
O aeroporto executivo São Paulo-Catarina recebeu nesta manhã os aviões do famoso empresário Elon Musk e da Força Aérea Brasileira (FAB).