Argentina Flybondi já sente os impactos da nova onda da Covid-19

Boeing 737-800 – Imagem: Flybondi

A companhia aérea argentina de baixo-custo Flybondi, que nos últimos meses vinha se recuperando bem dos efeitos da pandemia, inclusive voltando a voar de Buenos Aires a São Paulo e Rio de Janeiro na semana passada, informa hoje, 10 de janeiro, que a nova onda da Covid-19, causada pela variante Ômicron, já tem impactos relevantes em suas operações.

A seguir, apresentamos na íntegra o comunicado que a empresa divulgou a seus clientes e ao mercado em geral sobre a situação.

“Assim como acontece com as companhias aéreas do país e do mundo, a nova onda de infecções por COVID-19 e o crescimento exponencial dos últimos dias na Argentina impactaram negativamente nossa capacidade operacional, o que pode afetar alguns voos domésticos com reprogramação ou cancelamentos pelos próximos dias.

A atual situação de pandemia gerou um aumento de casos positivos e isolamentos de contato próximo nas tripulações, e não se espera que diminua no curto prazo. Por sua vez, a entrega da quinta aeronave (prevista para meados de janeiro) também está atrasada porque as empresas envolvidas no processo foram impactadas pela atual situação sanitária na Europa.

Sabemos que esta situação ocorre em plena época de festas e o nosso primeiro compromisso é com os nossos clientes. Por esse motivo, na Flybondi decidimos gerar acordos comerciais com diferentes companhias aéreas para oferecer uma solução aos passageiros que possam ser afetados pelos possíveis impactos na operação. Por sua vez, faremos alterações nas políticas de troca de passagens, flexibilizando todas as condições para os passageiros afetados que desejam adiar suas datas de viagem.

Os passageiros poderão verificar o status de seus voos diretamente no site www.fybondi.com na seção Reservas.

Lamentamos o transtorno que esse possível impacto no serviço possa gerar e continuamos trabalhando muito com nossos protocolos de prevenção tanto para cuidar de nossos funcionários quanto de nossos clientes neste momento de registro de infecções por pandemia.”

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias