Aviação elétrica ganha força após aérea da Europa assinar interesse para vinte ES-19

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Elétrico ES-19 Heart Aerospace
ES-19 – Imagem: Heart Aerospace

Os projetos de aviões movidos a propulsão elétrica vão ganhando cada vez mais importância à medida que começam a fechar acordos com importante companhias aéreas.

O movimento mais recente foi anunciado hoje, 25 de março, quando a companhia finlandesa Finnair, que possui frota de cerca de 40 aviões a jato, incluindo widebodies como os Airbus A330 e A350, assinou uma carta de interesse com a pioneira empresa sueca de aviação sustentável Heart Aerospace e pode adquirir até 20 de suas aeronaves elétricas ES-19, de 19 lugares, para uso nas rotas de menor distância.

Segundo a empresa aérea, os aviões, que estão atualmente em desenvolvimento, podem fazer parte da caixa de ferramentas de novas tecnologias para ajudá-la a cumprir seus planos de ser neutra em carbono até 2045.

Dois anos atrás, a Finnair ingressou na Nordic Network for Electric Aviation (NEA), que viu governos, companhias aéreas e empresas colaborarem em novos projetos interessantes para ajudar a desenvolver formas sustentáveis ​​de viajar. A NEA tem quatro objetivos principais: padronizar a infraestrutura elétrica do ar nos países nórdicos; desenvolver modelos de negócios para conectividade regional ponto a ponto; desenvolvendo tecnologia de aeronaves para as condições meteorológicas nórdicas; e criar uma plataforma para colaborações europeias e globais.

“Trabalhamos em estreita colaboração com a NEA, mas obter esse compromisso da Finnair é realmente importante”, disse Anders Forslund, CEO e fundador da Heart Aerospace. “O grande desafio de construir uma aeronave elétrica não está apenas na tecnologia, mas também em conseguir o impulso para criar um projeto como este e construí-lo por completo.”

“Ao desenvolver um tipo de aeronave totalmente novo, você precisa de parceiros, como companhias aéreas e aeroportos, para garantir que todo o ecossistema se desenvolva em linha com a aeronave. As necessidades em toda a cadeia de valor são consideradas em uma fase inicial”, diz Anne Larilahti, Chefe de Sustentabilidade da Finnair.

Avião Elétrico ES-19 Heart Aerospace
Imagem: Heart Aerospace

Infraestrutura Inteiramente Nova

Inicialmente, as aeronaves elétricas provavelmente serão usadas para voos de curta distância, ajudando a reduzir as emissões e também, potencialmente, revigorando as economias locais, diz o CEO Anders.

“Se você trouxer aeronaves elétricas para a mesa, poderemos pilotar aviões pequenos com economia semelhante à dos aviões maiores atuais”, diz ele. “Podemos fazer isso com aviões com emissão zero, mas também com ruído muito baixo. Acreditamos que isso não apenas substituirá algumas das frotas regionais que existem hoje, mas também criará um novo mercado e novos tipos de conectividade.”

“Uma aeronave elétrica é melhor quanto mais curta for a rota que você voa. Quanto mais curto você voa, menos gasta as baterias e mais rápido elas podem ser recarregadas”, explica Anders.

Isso, é claro, significa nova infraestrutura, potencialmente desenvolvendo aeroportos menores para permitir voos entre cidades menores em uma mudança do modelo tradicional de aeroporto central. Os novos aviões elétricos também podem atrair clientes que gostam de viajar com pouca bagagem em aviões que têm pouco espaço para bagagens pesadas. É um grande empreendimento que exigirá anos de trabalho de várias partes interessadas.

“Você também precisa entender realmente o que é necessário nos aeroportos”, diz Anne. “Você não pode expandir mais rápido do que a infraestrutura disponível que suporta esses aviões.”

Os pontos de carregamento serão necessários em todos os aeroportos onde uma aeronave elétrica decola e pousa. Anders explica que, embora a Heart Aerospace, em uma estimativa conservadora, pense que as baterias de seu ES-19 podem ser totalmente carregadas 1.000 vezes ao longo de sua vida útil, há o desafio de que os aviões precisarão ser recarregados toda vez que pousarem.

Mas Anne complementa: “Quão mais fácil é a vida agora que temos USB?” apontando para o padrão de carregamento que proporcionou o carregamento fácil e conveniente de smartphones e tablets.

Um Futuro Sustentável para a Aviação

“No curto prazo, as aeronaves elétricas não serão a panaceia para toda a aviação sustentável”, diz Anders. “Mas o que realmente se faz é remover a parte mais cara da aeronave, o motor a jato, e substituí-lo por um motor elétrico conceitualmente muito simples. É barato de fazer e manter.”

Anne concorda que a aviação elétrica por si só não será suficiente para reduzir as emissões em todo o setor de aviação, mas que fará parte da mudança. “Se olharmos para os requisitos do acordo de Paris, não vai ser suficiente apenas eletrificar. Mas isso é extremamente interessante, porque precisamos de uma grande caixa de ferramentas. Isso significa que eletricidade, hidrogênio, biocombustíveis e eletrocombustíveis são essenciais.”

Informações da Finnair

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Casos de interferência em GPS de aviões ainda estão 40% acima...

0
A interferência nos sistemas de navegação de aeronaves civis continua alta mesmo após uma recente queda e atrapalha a segurança aérea.