Avião A350-1000 é danificado ao raspar a cauda no chão; veja como ficou

Avião Airbus A350-1000 British Airways
A350-1000 – Imagem: Airbus

Um caso de incidente de contato da cauda da aeronave com a pista, o chamado “tail strike”, foi registrado no último domingo, dia 02 de janeiro, resultando em danos a um Airbus A350.

A ocorrência se deu no Heathrow, o principal aeroporto de Londres, na Inglaterra, quando o jato A350-1000 registrado sob a matrícula G-XWBC, operado pela companhia British Airways, estava finalizando o voo BA-104, segundo o reporte do The Aviation Herald.

Ele havia partido de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e efetuou sua aproximação pela cabeceira 27L de Heathrow quando a cauda entrou em contato com a superfície da pista.

Os pilotos executaram uma arremetida e, conforme se nota a seguir no histórico da plataforma RadarBox de rastreamento online, levaram o Airbus A350 de volta para 4.000 pés (1.200 metros) de altitude e o posicionaram para outra aproximação, dessa vez efetuada para a cabeceira 27R da outra pista paralela.

O Airbus A350 fazendo a volta após o incidente – Imagem: RadarBox

A aeronave pousou sem mais incidentes cerca de 15 minutos após a ocorrência, e não mais decolou de Londres até a publicação desta matéria, cerca de 48 horas desde o pouso (e nem deve voltar a voar tão cedo, devido à necessidade de inspeção e reparo da região danificada).

Os danos resultantes do tail strike do A350-1000 – Imagem: M Zulqarnain

Os boletins de informações meteorológicas (METAR) dos horários próximos ao da ocorrência indicam boas condições de visibilidade, chuva leve, vento de até 13 nós (24 km/h) desalinhado em 60º pela esquerda das pistas 27L e 27R e presença de nuvens cumulonimbus:

METAR

COR EGLL 021450Z AUTO 21012KT 9999 -RA SCT020/// BKN041/// //////CB 12/10 Q1008 NOSIG=

EGLL 021420Z AUTO 21013KT 9999 -RA BKN020/// BKN029/// //////CB 12/09 Q1008 TEMPO 4000 RA BKN014=

Ainda não há informações conhecidas sobre algum relato dos pilotos, da companhia aérea ou da autoridade inglesa de investigação a respeito da sequência de eventos da ocorrência.

A British Airways tem 8 unidades do Airbus A350-1000 operando em sua frota, que começaram a ser entregues em julho de 2019. O G-XWBC envolvido no incidente foi o terceiro deles, recebido em novembro daquele ano, portanto, tem pouco mais de 2 anos de operações comerciais.

Além destes, a British tem encomendas para totalizar 18 unidades deste mesmo modelo, o maior bimotor já produzido pela Airbus, que a companhia inclusive utiliza em voos para o aeroporto de Guarulhos.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias