Avião B787 decola rumo à Antártica e volta à origem após 15 horas; saiba o que foi isso

Um voo de Boeing 787 neste domingo, 23 de janeiro, chamou a atenção de muitas pessoas ao decolar com rumo direto para o sul, chegar até a Antártica e depois pousar de volta no aeroporto de origem após 15 horas desde a partida.

Mas antes que sejam levantados rumores de algum problema, já vale a pena esclarecer que se trata de um interessante voo devidamente programado para fazer exatamente o que fez, conforme você toma conhecimento, em detalhes, nesta matéria.

Operado pela companhia australiana Qantas, o Boeing 787-9 Dreamliner registrado sob a matrícula VH-ZND decolou de Brisbane, na Austrália, às 07h39 da manhã (horário local) deste domingo, 23 de janeiro, e imediatamente tomou o rumo do sul do mundo.

O Boeing 787 VH-ZND usado na missão – Imagem: Mitchul Hope / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

Subindo até 35 mil pés (10,7 km) de altitude, o jato se deslocou por pouco mais de 5 horas e 30 minutos até seus pilotos começaram a abaixá-lo quando já se aproximando do continente gelado e inóspito.

Mas a descida não tinha o objetivo de realizar um pouso na Antártica. O 787 desceu a não menos do que 18 mil pés (5,5 km) de altitude, e por cerca de 4 horas permaneceu voando sobre a região da costa do continente, até retornar ao ponto em que havia iniciado o sobrevoo.

Dali, foram novamente mais de 5 horas, agora no rumo norte, até chegar de volta ao aeroporto de Brisbane para o pouso.

O Boeing 787 durante o voo à Antártica neste domingo – Imagem: FlightRadar24

Diante da curiosidade de vários de nossos leitores, pesquisamos a respeito desse incomum voo e descobrimos o que segue.

A responsável pela realização desta jornada aérea de 15 horas é a Chimu Adventures, um projeto que teve início dos anos 2000, quando os amigos Chad Carey e Greg Carter compartilhavam uma paixão por tudo latino-americano e uma frustração com a inflexibilidade e a falta de valor nos modos de viagem disponíveis para os visitantes da América do Sul na época.

Tomando algumas cervejas em uma corrida de barcos, enquanto em Londres, eles decidiram que era hora de fazer algo a respeito. Nascia a Chimu, com foco não apenas na América Latina, mas também em expedições Polares.

Uma empresa de propriedade australiana que oferece itinerários flexíveis para a América Latina, cruzeiros para a Antártica e o Ártico e, o foco de nossa busca nesta matéria, voos panorâmicos saindo da Austrália para testemunhar a aurora boreal ou, neste caso, contemplar o continente antártico.

Segundo a empresa, os voos na Antártica são muito diferentes das expedições de navio para lá, pois fornecem a chance de conhecer a Antártica em um dia, enquanto pelo mar seriam semanas a fio.

Uma das coisas que até mesmo expedicionários experientes em navios mencionam é a sensação de escala que os sobrevoos da Antártica oferecem em comparação com expedições baseadas em navios. Os voos oferecem uma apreciação muito maior do tamanho do incrível continente.

O vídeo a seguir apresenta algumas imagens relativas à experiência de um destes voos:

Este “voo de um dia inteiro” parte de Brisbane pela manhã bem cedo e volta tarde da noite, oferecendo 3 a 4 horas de visualização sobre o continente antártico. Também há uma equipe de especialistas da Chimu Adventures Antarctica a bordo para ajudar a explicar as paisagens e a história do continente.

Geralmente leva cerca de três horas de voo ao sul da Austrália antes de começarem a aparecer icebergs espalhados, e logo depois chega-se ao próprio continente, onde, se o clima permite, é possível apreciar as montanhas, geleiras e paisagens congeladas de Antártica.

No caso dos voos ao Polo Sul, também organizados pela empresa, voa-se por muito mais tempo sobre a Antártica, principalmente em altitude de cruzeiro, até a aeronave alcançar o extremo sul do mundo.

Em cada data de partida, a Chimu considera vários fatores, incluindo clima, cobertura de nuvens e condições de gelo, para buscar fornecer a melhor experiência de visualização no dia.

Trabalhando com a Qantas, a parceria oferece 20 rotas de voo potenciais diferentes para escolher, todas com uma variedade de recursos interessantes para ver.

No caso deste roteiro de Brisbane até a costa antártica, o próximo voo já tem data definida: 22 de janeiro de 2023. Porém, segundo o site da empresa, todas as passagens já estão esgotadas.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias