Avião do Ministério da Defesa da Rússia faz hoje um misterioso voo pelo Brasil

No final da manhã desta quinta-feira, 8 de dezembro, ingressou no espaço aéreo brasileiro uma aeronave Ilyushin IL-62M da 223rd Flight Unit State Airline, uma unidade de aviação do governo russo ligada ao Ministério da Defesa de seu país.

No momento em que essa matéria foi escrita, a aeronave, de matrícula RA-86495 e número de voo RFF-7971, estava em voo sobre o Nordeste brasileiro, cruzando a 36.000 pés de altitude (cerca de 11 mil metros). O jato navega numa aerovia que passa sobre a capital federal, Brasília.

Não há detalhes imediatamente disponíveis do motivo da operação ou de onde o avião pousará. Ele pode ser acompanhado em tempo real neste link. De todo o modo, trata-se de um sobrevoo bastante raro no Brasil.

O histórico de voos da aeronave confirma que em 7 de dezembro ela decolou de Moscou e fez uma parada em Teerã, no Irã, antes de seguir rumo à América do Sul. Notadamente, a aeronave não pode sobrevoar o espaço aéreo europeu, devido às sanções impostas à Rússia após a invasão da Ucrânia.

Um dos pontos mais curiosos é que não há muitos detalhes da operação da 223rd Flight Unit State Airline, mas consta apenas que atua em setores de importância estratégica para o governo russo e fornece apoio material (transporte, logístico e armas).

Em junho de 2019, uma aeronave Ilyushin IL-62M, similar à que sobrevoa o Brasil hoje, pousou em Caracas, na Venezuela, desencadeando um incidente diplomático, em que os Estados Unidos acusaram a Rússia de práticas espúrias e transporte de armas. A história, com as fotos da aeronave, foi pauta do site de notícias russas RT.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Aeroporto de Cascavel faz buracos na cerca para fotógrafos registrarem pousos...

0
Desde novembro a gestão do espaço instalou buracos na cerca operacional do aeroporto que estão reservados e sinalizados para aos fotógrafos.