Início Regulamentação Aviões não poderão pousar com tempo ruim em locais com grande presença...

Aviões não poderão pousar com tempo ruim em locais com grande presença da banda 5G

Foto: Live from the Flight Deck / golfcharlie232

A FAA anunciou na terça (7) que emitiria de duas novas diretivas de aeronavegabilidade (AD) diretamente relacionadas à interferência da banda 5G nos rádio-altímetros (também conhecidos como radares) das aeronaves. Uma das AD cobre aviões e outra helicópteros. Elas abordam a ameaça de potencial interferência no radar altímetro da banda de celular 5G na frequência de 3,7 a 3,98 GHz (C- band). As AD exigem limitações nas operações de voo quando tal interferência for encontrada.

Espera-se que as empresas de telecomunicações nos EUA ativem essas frequências 5G adicionais já em 5 de janeiro. No mês passado, elas anunciaram que restringiriam voluntariamente a geração de sinal 5G em torres de celular perto de 46 aeroportos e outros locais estratégicos nos EUA por seis meses.

Em uma declaração emitida com as AD, a FAA disse que “acredita que a expansão do 5G e a aviação coexistirão com segurança. Hoje, demos um passo importante em direção a esse objetivo, emitindo duas diretrizes de aeronavegabilidade para fornecer uma estrutura e reunir mais informações para evitar efeitos potenciais sobre os equipamentos de segurança da aviação. A FAA está trabalhando em estreita colaboração com a Comissão Federal de Comunicações e empresas sem fio e fez progressos para implementar com segurança a expansão 5G. Estamos confiantes de que com a colaboração contínua alcançaremos esse objetivo comum”. 

Mas a FAA também reconheceu o risco representado por alguns 5G ao dispensar o período de comentários para implementação e advertir sobre o potencial para viagens aéreas e interrupção dos serviços aéreos de emergência desencadeada pelo cumprimento dos ADs. Onde a inferência do altímetro de radar é observada ou tem potencial de existir, a FAA planeja emitir NOTAMs específicos para o local proibindo certas operações de aeronaves.

Especificamente, a FAA observou o potencial de algumas frequências 5G de interferir nos sistemas de rádio-altímetro, como sistemas de controle de voo automático e autoland, necessários para operações seguras de aeronaves em situações de baixa visibilidade. 

A agência avisou: “interferências podem fazer com que a aeronave seja manobrada de maneira inesperada ou perigosa durante os estágios finais de aproximação e pouso, e pode não ser detectada pelo piloto a tempo de manter voo e pouso seguros continuados. Dados imprecisos equipamento podem fazer com que os pilotos não confiem em seus instrumentos, erodindo a base sobre a qual todo o treinamento de voo por instrumentos é construído”.

Em áreas de interferência 5G identificadas por NOTAMs, serão proibidas as seguintes operações:

– realizar aproximações que requerem mínimos de rádio-altímetro para operações offshore de helicópteros (em vez disso, os mínimos barométricos devem ser usados ​​para essas operações);

– Ativar os modos de piloto automático quando eles requerem dados de rádio-altímetro;

– Ativar os modos de piloto automático de busca e resgate (SAR) que requerem dados de rádio-altímetro;

– Realizar pousos ILS CAT I, SA CAT II, CAT II, and CAT III;

– Realizar decolagens e pousos de acordo com qualquer procedimento (Categoria A, Categoria B ou por Classe de Desempenho no Manual de Voo do Rotorcraft ou Especificação de Operações) que requeira o uso de dados de rádio-altímetro; 

As novas AD podem ser acessadas nos links abaixo.

AD 2021-23-12

AD 2021-23-13 DC