Azul celebra a formatura da primeira turma da Associação Voar

A Associação Voar, instituição sem fins lucrativos que dá bolsas de estudo para formações na área da aviação comercial, vai realizar nesta sexta-feira (10) a formatura de seus sete primeiros beneficiados. A primeira turma do programa conta com um novo piloto e seis comissários de bordo que já possuem todas as certificações para ingressarem em suas novas carreiras.

A cerimônia acontece na UniAzul, universidade corporativa da Azul, em Campinas, com início às 14h30, em um welcome coffe para receber os formandos e convidados. Às 15h, está previsto o início da formatura da turma.

Cássio Rockenbach, que acabou de se formar como piloto pela Associação Voar, iniciou seu processo na escola EJ Jundiaí em maio deste ano. Pelo fato de já ter concluído algumas etapas do curso por conta própria, já estava mais à frente de seus colegas, apenas realizando horas de voo e fazendo os testes solicitados pela ANAC.

Os outros seis formandos são os novos comissários da companhia. Suas histórias são diferentes, mas a realização da nova profissão é a mesma. Eles entraram no projeto entre março e abril deste ano. Realizaram todas as etapas, como exames médicos de aptidão, até as provas da ANAC, bem como os módulos necessários para as aprovações. Agora, já estão preparados para integrarem o time de comissários da Azul.

A Naiara Almeida, de 27 anos, trabalhava no AzulCenter quando participou do programa “Troca de Papeis”, em que passou pela experiência de ser comissária de bordo por um dia. E, nesse momento, ela descobriu que era a profissão que queria para a sua vida. A Carla Santos, de 39 anos, atuava no setor de contingências, em Viracopos, quando entrou para o programa. Agora, ela vai realizar o sonho de fazer um voo com a melhor amiga e comissária, Carolina Donato.

Nascida na Argentina e residente no Recife, a Ivón Albertini, 32 anos, se apaixonou pela aviação assistindo a filmes. Entrou para o setor como agente de aviação e, com a formação pelo Associação Voar, vai fazer sua carreira voar mais longe. Já a Gabriela Ramos, que era recepcionista em um prédio da Azul sediado em Belo Horizonte, se encantava com o brilho nos olhos que via dos Tripulantes da Azul e viu no projeto a oportunidade de se tornar comissária e ter a mesma sensação que via nos outros todos os dias.

O Roberto Monteiro Filho, recifense de 42 anos, viu sua paixão pela aviação começar pelo seu pai, que trabalhava como abastecedor de aeronaves na Petrobrás. Era um Azultec (como são chamados os técnicos da companhia), quando se inscreveu para o programa para se tornar um comissário da Azul. E o Otávio Bispo, de 30 anos, iniciou sua trajetória na companhia trabalhando em uma empresa terceirizada quando foi chamado para o time de Tripulantes como Auxiliar de Cargas. Ali ele teve mais contato com os comissários de bordo e passou a admirar a profissão, até encontrar a oportunidade de fazer parte do time pela Associação Voar.

“É com muito orgulho que chegamos ao final deste ano já com a primeira turma de formandos da Associação Voar. O projeto surgiu justamente para realizar o sonho de pessoas que desejam construir o futuro da aviação e a Azul quer ser a porta de entrada de muitos desses profissionais”, comenta John Rodgerson, presidente da Azul e mantenedor da Associação Voar.

Camila Almeida, diretora de Pessoas da Azul, entende que a Associação Voar é um investimento da companhia na formação de novos profissionais na área da aviação. “Essa primeira formatura é a concretização do sucesso do nosso projeto. Estamos muito orgulhosos dos nossos primeiros formandos e esperamos passar por esse momento muitas outras vezes”, comemora.

Sobre a Associação Voar

A Associação Voar foi criada em 2019 pelos executivos da Azul com o propósito de dar asas aos sonhos daqueles que querem e têm potencial para se tornarem pilotos, comissários de voo ou mecânicos de aeronaves, mas que não têm condições socioeconômicas para investir na formação.

Através de uma combinação entre investimento privado e parceria com as melhores escolas de aviação no Brasil, a Azul dá o pontapé inicial a essa iniciativa inédita no setor como nova forma de dar mais oportunidade às pessoas, fomentar a aviação comercial e a melhorar a qualificação profissional no Brasil. A instituição é administrada por Tripulantes da companhia aérea de maneira voluntária, mas com atuação totalmente independente da estrutura da mesma.

Informações da Azul

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Um mês após parar de voar, Itapemirim manda dois aviões...

0
No início de janeiro, antecipamos com exclusividade as matrículas dos dois primeiros Airbus A320 da Itapemirim que seriam enviados