Balão voou mais de 200 km antes de atingir avião da Avianca

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Na noite de réveillon um Airbus A319 da Avianca foi atingido por um balão pirotécnico, que pode ter voado mais de 200 km até o local do incidente.

O caso envolveu o A319 de matrícula N557AV da Avianca Colômbia. Segundo informações mais recentes, que contradizem os primeiros relatos de que o incidente ocorreu em voo, o jato tinha acabado de pousar no Aeroporto Internacional El Dorado, em Bogotá, procedente de Orlando.

Quando ainda estava na pista de pouso foi atingido pelo balão pirotécnico, que se enroscou na fuselagem e na asa esquerda da aeronave – nesse momento, os pilotos declararam uma emergência, com medo do fogo da tocha do artefato. A aeronave ficou parada por cerca de uma hora na pista após uma inspeção de segurança, logo depois os passageiros foram desembarcados sem problemas.

Segundo o jornal El Espectador, o balão teria sido solto no Vale do Aburrá, na província de Antióquia. A informação foi passada pela Aeronáutica Civil, agência de aviação responsável na Colômbia. A grande surpresa vem do fato de que o Vale do Aburrá é onde fica a cidade de Medellín, segunda maior da Colômbia e que é conhecida por ser encravada nas montanhas do vale.

Distância do Vale para o Aeroporto – Google Maps

Entre Medellín e o Aeroporto de Bogotá são ao menos 230 km em linha reta, uma grande distância para um balão não tripulado percorrer, dado ainda que o terreno é acidentado e cortado pela Cordilheira dos Andes.

“A investigação encontrou evidências que indicam, com uma altíssima probabilidade de certeza, que o balão que atingiu a aeronave foi lançado de algum local dentro do Vale do Aburrá em Antioquia”, disse o porta-voz da Aeronáutica Civil ao jornal.

A entidade assim como a Avianca, reforçaram o pedido para que as pessoas não soltem balões não-tripulados, e ressaltam que essa prática, assim como no Brasil, é crime, além de poderem resultar em tragédias.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A