Boeing 737 MAX ganha a luz verde dos coreanos

O Boeing 737 MAX foi recertificado na semana passada na Coreia do Sul, fazendo com que a China seja agora último grande mercado da aviação ainda pendente de liberar a aeronave. A liberação coreana aconteceu após a revisão das várias alterações feitas na aeronave e no treinamento dos pilotos, relatou a agência Reuters.

A única companhia aérea coreana que possui o Boeing 737 MAX na frota é a Eastar jet. Por sua vez, a companhia aérea nacional, Korean Air, tem um pedido de 30 jatos Boeing 737 MAX 8 para entrega futura. A Jeju Air tem um pedido de 40 aeronaves. No entanto, outras empresas aéreas da região possuem o modelo e o interesse em realizar voos com ele para destinos na Coreia.

Agora, como próximo passo, o regulador coreano fará verificações de segurança para garantir que as companhias aéreas forneçam aos pilotos o treinamento necessário para voar. As alterações feitas pelas companhias aéreas e fabricantes na operação e entrega do tipo também serão monitoradas.

CHINA – o alvo da Boeing agora é a China, onde o regulador local (CAAC) sinalizou que está contente com o que viu recentemente, durante demonstrações do MAX em território chinês, complementadas por workshops onde a Boeing apresentou todas as mudanças realizadas e o novo rito de preparação dos pilotos. Segundo informações recentes, a CAAC abriu um processo de consulta pública relacionada com a AD (Diretiva de Aeronavegabilidade) para a liberação do MAX.

Quando o processo for encerrado, espera-se que o modelo seja imediatamente liberado na China, e isso pode acontecer ainda nesse ano (se tudo der certo).

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias