Boeing comemora uma década de voos do 787 Dreamliner na LATAM

Um dos mais revolucionários aviões comerciais do mundo completou hoje, 31 de agosto, 10 anos de operação na LATAM, um marco que foi comemorado pela Boeing.

Tudo começou no dia 31 de agosto de 2012, quando o primeiro 787 Dreamliner foi entregue, apenas dois meses após vinculação das operações das duas maiores companhias aéreas da América do Sul, a LAN e a TAM, que anos depois se tornariam a Latam.

A sua chegada foi comemorada porque marcava uma renovação da frota da LAN, que contava com jatos 767-300ER, os quais, apesar de serem os últimos a saírem da linha de montagem naquele momento, não eram a última tecnologia disponível.

Inclusive, a LATAM foi a primeira operadora do Dreamliner na América, saindo à frente das empresas dos EUA, como a American e a United, que apostaram no 787 mas não quiseram ser as primeiras a operarem o modelo. A Boeing hoje comemorou este aniversário de 10 anos em seu Twitter oficial.

O Dreamliner se destacou por ser o primeiro avião comercial cuja fuselagem é feita de materiais compostos entrelaçados, reduzindo peso e permitindo contornos mais precisos, já que o “charuto” da aeronave é feito por robôs, e depois colocado num forno. Entre outras novidades está o extenso uso de baterias, dispensando um motor auxiliar à combustão (APU), que agora era elétrica. Porém, isso acabou trazendo uma dor de cabeça inicial para a LATAM.

Em janeiro de 2013, poucos meses após receber seu primeiro 787-8, uma série de incidentes com a bateria de lítio do Dreamliner em companhias estrangeiras fez com que as autoridades ordenassem a parada imediata dos voos, forçando a LATAM a colocar o 767 de novo nas rotas.

A paralisação durou pouco tempo e em abril os aviões voltaram a voar, já com uma correção feita para evitar incêndios. Desde então, apesar da recente paralisação na produção causada por falta de controle de qualidade, os 787 não pararam de voar na empresa e hoje já são 29 aeronaves dos modelos 787-8 e 787-9, podendo levar entre 247 e 313 passageiros, respectivamente.

Boeing 787-8 "Dreamliner" / LATAM Chile / CC-BBA

Para o passageiro, fica o destaque da cabine mais confortável, com luzes especiais que reduzem o jetlag, assim como uma pressurização melhorada, com uma diferença menor em relação ao nível do solo. Mas a grande novidade está na janela, em que a persiana não é rígida, e sim funciona através de um gás interno que escurece ou clareia, permitindo passar mais ou menos luz.

A última novidade anunciada pela empresa aérea foi a operação do Dreamliner no Brasil, para ocupar o espaço deixado pelos Airbus A350XWB oriundos da TAM, que foram removidos de operação pela LATAM.

Atualmente, o 787 da LATAM no Brasil opera alguns voos domésticos de alta densidade, para o Nordeste de maneira esporádica, além de fazer voos internacionais de São Paulo para Paris, Nova Iorque, Madri, Santiago do Chile e Lisboa.

Carlos Martins
Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias