Boeing vai pagar pelo menos US$ 17 milhões para resolver ações de execução do 737 MAX

737 MAX – Boeing

A Boeing Company vai pagar pelo menos US$ 17 milhões em multas e realizar várias ações corretivas em sua produção sob um acordo de liquidação com a Federal Aviation Administration (FAA).

A FAA descobriu que o fabricante com sede em Chicago instalou equipamentos em 759 aeronaves Boeing 737 MAX e NG contendo sensores que não foram aprovados para aquele equipamento; submeteu aproximadamente 178 aeronaves Boeing 737 MAX para certificação de aeronavegabilidade quando a aeronave potencialmente tinha slats não conformes instaladas.

“Manter o público seguro é nossa principal responsabilidade. Isso não é negociável, e a FAA responsabilizará a Boeing e a indústria da aviação por manter nossos céus seguros”, disse o administrador da FAA, Steve Dickson.

A Boeing pagará a multa de US$ 17 milhões em 30 dias após a assinatura do acordo Se a Boeing não concluir certas ações corretivas dentro de prazos específicos, a FAA cobrará até US$ 10,1 milhões em penalidades adicionais. As ações corretivas incluem, mas não estão limitadas a:

– Reforçar os procedimentos para garantir que não sejam instaladas na aeronave quaisquer peças que não estejam em conformidade com o projeto aprovado.

– Realizar análises de gerenciamento de riscos de segurança para determinar se seus processos de supervisão da cadeia de suprimentos são apropriados e se a empresa está pronta para aumentar, com segurança, a taxa de produção do Boeing 737.

– Revisar seus procedimentos de produção para permitir que a FAA observe as avaliações da taxa de produção, bem como os dados que são suporte às análises.

– Tomar medidas para não ter mais aeronaves com peças não conformes no momento da emissão do certificação de aeronavegabilidade ou Certificado de Exportação.

– Aprimorando processos para melhorar sua supervisão dos fornecedores de peças.

A FAA diz, em nota, que continuará a supervisionar as atividades de engenharia e produção da Boeing e está implementando ativamente as disposições da Lei de Certificação, Segurança e Responsabilidade de Aeronaves de 2020.  

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Acionistas da Latam aprovam plano de reorganização em novo passo rumo...

0
Acionistas da Latam Airlines concordaram com a aprovação do plano de reorganização da empresa na terça-feira (5), dando continuidade