Brasil tem 5 aeroportos entre os 52 certificados pelo programa que mede emissões de carbono

Aeroporto Internacional de Natal – Imagem: Secretaria de Turismo do Rio Grande do Norte

O Conselho Internacional de Aeroportos para América Latina e Caribe (ACI-LAC) informa hoje, 19 de janeiro, que atingiu a marca de 52 aeroportos certificados pelo programa ACI Airport Carbon Accreditation (ACA), a única certificação de gestão de emissões de carbono específica para aeroportos no mundo que avalia e reconhece de forma independente os esforços dos aeroportos para gerenciar e reduzir suas emissões.

O programa possui 6 níveis de certificação: “Mapeamento”, “Redução”, “Otimização”, “Neutralidade”, “Transformação” e “Transição”, que buscam acompanhar os aeroportos em diferentes etapas no caminho para uma gestão integral de suas emissões de carbono.

Os dois aeroportos mais recentes incorporados à lista dos mais ambientalmente responsáveis são os mexicanos Aeroporto Internacional de Morelia e Aeroporto Internacional de Manzanillo, do Grupo Aeroportuario del Pacífico, que soma agora 12 aeroportos do grupo credenciados no país.

Além destes, o ACI-LAC destaca o Aeroporto Internacional Aimé Césaire, na Martinica, que recentemente também aderiu ao nível “Mapeamento”, tendo sido o 50º aeroporto da região no programa ACA.

No Brasil, já são 5 os aeroportos que fazem parte do programa Airport Carbon Accreditation: Aeroporto Internacional de Brasília, Aeroporto Internacional de Natal e Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, que estão no nível “Mapeamento”; e Aeroporto Internacional de Salvador e Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, no nível “Redução”.

Localizações dos aeroportos que fazem parte do programa na América Latina e Caribe

Para mais informações sobre o programa e os aeroportos integrados, acesse a página oficial clicando aqui.

Informações da Assessoria do ACI-LAC

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias