Início Aviação Militar

Caça russo com nome de ‘Xeque Mate’ perde o jogo para as sanções e tem produção atrasada

Su-75 – Imagem: Ivan Novikov-Dvinsky

O chefe da Rostec, Sergey Chemezov, informou durante reunião com o presidente russo Vladimir Putin na terça-feira (18) que o caça avançado Su-75 Checkmate entrará em produção em série a partir de 2027 e não mais em 2025, como era esperado. O novo prazo já considera os impactos das sanções pelas quais a Rússia está passando como consequência de sua invasão à Ucrânia (que obrigou a Rostec a repriorizar suas iniciativas).

O apelido da aeronave faz alusão ao termo “Xeque Mate”, a manobra do xadrez que encerra o jogo por deixar o rei encurralado. O protótipo da aeronave foi apresentado no meio do ano passado durante o Moscow Airshow 2021.

Mais do “super caça”

O caça segue linhas similares às do Su-57, a quinta geração de aeronaves furtivas russas. As aletas verticais, totalmente móveis, são em forma de V, o nariz lembra muito o do Felon, mas obviamente, sendo monomotor, a entrada de ar é totalmente diferente: em ângulo agudo, sob o cockpit, e com um anteparo ao longo da linha central. A motorização ainda não foi revelada, mas o motor deverá contar com empuxo vetorial, com o eixo do bocal capaz de mudar tanto para cima quanto para baixo.

O Checkmate tem o trem de pouso do nariz deslocado para o lado esquerdo da aeronave e possui um Flir na frente do cockpit de conformação esférica, assim como o do Su-57. Também são interessantes as pontas das asas trapezoidais, capazes de levar os mais recentes conjuntos de armamentos.

Em termos de desempenho, a aeronave teria uma carga útil de 7,4 toneladas, uma velocidade máxima de Mach 1.8 e um alcance de combate de 1.700 quilômetros sem tanques de combustível adicionais. Também foi afirmado que a nova aeronave é capaz de manobrar a 8g e voar em velocidades supersônicas. A aeronave também poderá operar VANT (Veículos Aéreos Não Tripulados) e, portanto, poderá aproveitar a experiência adquirida com o Su-57, que está se integrando ao UCAV (Veículo Aéreo Não Tripulado) S-70 Okhotnik-B.

O custo unitário da aeronave, segundo a Rostec, deve ficar em torno de 25 a 30 milhões de dólares: pouco se comparado ao segmento de mercado em que se posiciona, que inclui o sueco Jas-39 Gripen, o Eurofigther Typhoon, o Dassault Rafale e o caça furtivo do Lockheed Martin F-35 Lightning II.

O “Xeque Mate” é um produto que concebido para permitir a exportação, em particular para países africanos, Índia e Vietnã, como afirmou o vice-primeiro-ministro Yuri Borisov, mas também deve equipar a própria Força Aérea Russa, como esperam especialistas no setor.

Modelo do Su-75 em tamanho real – Imagem: Mztourist / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.