Início Aviação Militar

Caça russo Sukhoi Su-37 já esteve em Goiás e com a bandeira do Brasil

O principal caça da Força Aérea da Rússia, o temido Flanker da Sukhoi, já esteve no Brasil uma única vez e ao lado do caça Gripen.

Imagem – Divulgação

O caça Sukhoi Su-37 Flanker F, também conhecido como Terminator, era a sensação dos aviões militares russos no final da década de 1990. Baseado na já consagrada plataforma Flanker, que começou com o Su-27, esta nova versão trazia melhorias e era voltada para exportação.

O avião em si era um Su-27M (“M” de modernizado), com modificações nos motores para que aumentassem o empuxo vetorado (como mostrado abaixo), que já era a marca registrada da família Flanker. Além disso o jato contava com alguns aviônicos ocidentais com telas de LCD (novidade na época) e o famoso HUD, que é a tela de vidro com projeções das principais informações que fica bem “na cara” do piloto.

Com o fim da União Soviética anos antes, a Rússia estava se abrindo para o mundo e, para isso, enviou o Su-37 para a FIDAE, a famosa feira de aviação e defesa da América Latina, realizada a cada dois anos no Chile.

O caminho para a FIDAE dos aviões que vêm da Europa sempre passa pelo Brasil e, aproveitando a ocasião do programa F-X, em 1998, que visava à substituição dos caças F-5E Tiger II e Mirage III da Força Aérea Brasileira (FAB), os russos decidiram fazer uma parada em Goiás antes de seguirem ao Chile.

O Flanker participava da concorrência do programa F-X e foi apresentado para a FAB durante os dias 2 e 7 de abril de 1998 na Base Aérea de Anapólis, em território goiano.

Junto dele estava o SAAB Gripen C, que antecedeu o Gripen E, sendo o último o modelo escolhido pelo Brasil quando o programa FX-2 foi finalmente concluído. A história é relatada em detalhes e fotos pelo canal Águias de Aço, e vale destacar a bandeira brasileira junto da russa, com um aperto de mãos no meio, uma propaganda para venda do caça na época.

Um outro fato é que o avião também passou pelo Recife, acompanhado de um Ilyushin IL-76, como ficou registrado por fotógrafos locais:

O Su-37 acabou sendo apenas um demonstrador de tecnologia, e muitas de suas modificações foram depois incoporadas no Su-30 e Su-35.

Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A
Sair da versão mobile