Casal distraído pega o avião errado, vai parar em outro país e culpa a empresa aérea

Divulgação: Ryanair

Um casal britânico acusou uma companhia aérea de negligência, depois de dizer que foi levado ao país errado. Simon Forster e Emma Schofield exigiram que a Ryanair se desculpe formalmente e cubra as despesas incorridas durante a viagem, depois que o casal comprou passagens para a Dinamarca, mas acabou a centenas de quilômetros de distância, na França.

O caso ocorreu no último dia 17 de dezembro, quando o casal estava programado para tirar férias em Copenhague. Mas as coisas não saíram como planejado para Forster e Schofield, que se viram presos por filas “horríveis” durante a viagem pré-natal no aeroporto de Manchester. Diante da falta de resposta da empresa aérea, o casal resolveu ir à mídia.

Os dois disseram ao The Manchester Evening News que estavam atrasados e tiveram que correr para o portão depois de passar pela segurança. Na chegada ao portão, que não era necessariamente o do seu voo, o casal abordou os funcionários da Ryanair, que, segundo o casal, verificaram seus passaportes e cartões de embarque para garantir que embarcaram no voo correto.

Forster e Schofield foram conduzidos por um lance de escadas e embarcaram no único avião que esperava pronto na pista. O casal diz que tentou mostrar seus cartões de embarque aos membros da tripulação, mas eles teriam dito “não se preocupem com isso” e solicitaram que se sentassem (note que a tripulação acredita que todo o controle de embarque já foi feito pelos agentes de aeroporto e, portanto, não precisa checar novamente o cartão dos viajantes).

Enquanto o casal estava aliviado por pegar o voo, mais tarde eles descobriram que seus problemas estavam apenas começando, quando foram recebidos em sua chegada a Beauvais, na França, com um “bonjour” no controle de passaportes.

“O choque de desembarcar em algum lugar perto de Paris quando você deveria estar indo para Copenhague foi ridículo”, disse Forster. “Eu gostaria de entender como isso aconteceu”.

Forçados a encontrar acomodações em Paris, a uma hora de carro de Beauvais, o casal diz que gastou cerca de 930 libras em hotéis e táxis. O casal agora está exigindo que a Ryanair os compense por suas despesas de férias em Paris e os reembolse por suas passagens para Copenhague.

Certamente uma falta de atenção do casal, mas também do procedimento de embarque, que permitiu aos dois entrarem no voo errado. Agora, a batalha será judicial.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Primeiro jato Embraer E2 da canadense Porter já está quase pronto...

0
A futura maior operadora de jatos Embraer E2 está cada vez mais próxima de receber seu primeiro avião, que já está sendo montado.