Celebrados os 100 anos do primeiro voo comercial em Cuba

Foto de Dmitry Terekhov via Wikimedia

Em 30 de outubro, Cuba celebrou o centenário do seu primeiro voo comercial, protagonizado pela então Cuban Air Company, a primeira companhia aérea nacional do país latino. Apesar de sua existência efêmera, a empresa abriu caminho para a atual porta-bandeira de Cuba, a Cubana de Aviación, que na mesma data, mas uma década depois (em 1930), iniciou suas operações.

O evento teve grande repercussão na América, pois “com este voo inaugural entre a capital cubana e as cidades de Cienfuegos e Santa Clara, esta companhia aérea tornou-se a empresa pioneira na região”, disse um comunicado do governo, o que demonstrou a real viabilidade de usar esse meio de transporte para o traslado regular de passageiros e cargas nos primeiros anos da aviação comercial.

Avião do primeiro voo

“A atividade aeronáutica é aquela que exige coletivismo. Nosso principal desafio é seguir voando para o mundo, sempre impondo inteligência, profissionalismo e disciplina”, conquista que se consegue graças a um capital humano com “alto senso de pertencimento e que leva muito a sério o risco que muitas vezes cumprir em condições muito difíceis”, afirmou Armando Daniel López, presidente do Instituto de Aeronáutica Civil de Cuba (IACC). 

O Ministério dos Transportes Cubano fez uma homenagem em conjunto com os Correos Nacionales, criando um selo especial para perpetuar o fato. Um evento para o lançamento do selo foi realizado na sexta-feira (30), no Aeroporto Internacional José Martí.

Notícia na imprensa da época

Segundo afirmou o historiador aeronáutico Carlos Concepción, presente no evento, “a nossa atual companhia aérea é a sucessora histórica daquela que celebra o centenário, que hoje cresce superando as barreiras do tempo e das dificuldades, com o trabalho conjunto e profissional de todos os trabalhadores e especialistas da aviação civil cubana, para continuar a levar a mensagem de paz, cooperação e fraternidade de nosso povo e governo, a bordo de seus voos pelos céus do mundo”. 

O selo, desenhado por Frank Baltodano de León, respaldado pela Resolução 95 de 2020 do Ministério das Comunicações e com valor nominal de 90 centavos cubanos, recria uma cena do voo do avião Farman F60, modelo francês usado durante a Primeira Guerra. Mundial e posteriormente adaptado para o transporte de passageiros e cargas. Veja abaixo o selo.

O chefe do IACC destacou que aquelas primeiras equipes de voo viajavam “em aviões incipientes, mas que permitiam realizar operações eficientes, desde que com precisão e disciplina. Hoje nossos trabalhadores são dignos representantes desta atividade. Mesmo com todas as medidas para intensificar o bloqueio, a Cubana de Aviación continua a levar os nossos médicos e trabalhadores, que levam a paz ao mundo nos momentos mais difíceis e a trazer a Cuba todos os cubanos que continuam a lutar pela nossa pátria”.

As informações e fotos foram disponibilizadas pelo Ministério dos Transportes Cubano.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Liberado para jatos só em voos diurnos, Passo Fundo já tem...

0
A GOL Linhas Aéreas anuncia que retoma suas operações na cidade, interrompidas em janeiro de 2021 devido a obras no aeroporto Lauro Kurtz.