CGNA ativa hoje o seu Centro de Informação Aeronáutica (C-AIS)

Imagem: Natália Fernandes Galeno – 1S SAI

Hoje, 17 de maio, entra em operação o C-AIS CGNA (Centro de Informação Aeronáutica do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea), com a assunção de 50% da demanda de intenção de voo da Sala AIS do aeroporto de Confins (MG).

Gradativamente, o C-AIS CGNA assumirá todo o movimento de Confins, assim como a demanda de mais três C-AIS – de Brasília, Curitiba e São Paulo -, tornando-se o responsável pelo processamento de cerca de 33% das mensagens ATS (Serviço de Tráfego Aéreo) do Brasil.

Segundo o comandante de CGNA, Coronel Aviador Marcelo Jorge Pessoa Cavalcante, com o processo de centralização, a atividade AIS passará por substanciais transformações, com a efetiva utilização de sistemas automatizados, sincronizados entre si, propiciando uma considerável redução da intervenção humana na sistemática do tratamento de plano de voo.

“Para tanto, o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea tem investido maciçamente na capacitação de seus profissionais, levando em consideração o nível de complexidade das áreas de jurisdição que serão absorvidas pelo C-AIS CGNA.”, declarou o Coronel Marcelo.

O plano de gerenciamento do projeto prevê que, em janeiro de 2024, todo esse processo esteja finalizado, passando para uma configuração operacional composta por mais três Centros de Informação Aeronáutica: C-AIS RJ (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero), C-AIS RE (Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo – CINDACTA III) e C-AIS CGNA.

O CGNA é a organização militar responsável pelo gerenciamento de planos de voo, com o devido suporte dos C-AIS. Assim, implantou o Programa de Capacitação Padronizado para profissionais AIS, por meio de treinamentos de operadores e de supervisores, incluindo atividades relacionadas à modernização do SIGMA.

Imagem: Natália Fernandes Galeno – 1S SAI

O objetivo, além da qualificação, é a integral adequação dos profissionais AIS quanto ao desenvolvimento e a evolução da forma pela qual a informação aeronáutica vem sendo trabalhada em prol do eficiente gerenciamento de fluxo do tráfego aéreo.

Segundo o CGNA, ainda há muito trabalho a ser realizado no tocante à capacitação dos operadores AIS, o qual será viabilizado pelo esforço e compromisso empenhados pelo CGNA, pelo DECEA e pelas organizações regionais envolvidas no processo, de modo a garantir a excelência do gerenciamento da informação aeronáutica e do tratamento das mensagens ATS.

Fonte: CGNA

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Surge com pintura híbrida de outra empresa um avião A350 da...

0
Sem previsão do fim das sanções contra a Rússia, aviões ocidentais já estão sendo encaminhados para outras companhias.