Com avião Boeing 767, Latam transporta raro rinoceronte Pantaleón até sua nova casa

Foto ilustrativa – Latam Cargo

A empresa aérea Latam divulgou recentemente uma iniciativa importante, na qual transportou um raro rinoceronte branco, de nome Pantaleón e 1,5 tonelada de peso, do Chile até sua nova casa, na Colômbia. O animal embarcou no final de outubro para uma jornada abordo de um Boeing 767 da Latam Cargo rumo ao Bioparque Ukumarí, na cidade colombiana de Pereira.

Pantaleón nasceu no Buin Zoo, distante 33 km de Santiago, há quatro anos. No entanto, Ignacio Idalsoaga, veterinário e diretor da instituição, conta que a história do rinoceronte começou antes mesmo de seu nascimento, há 9 anos, com a chegada dos pais dele, Oliver e Hannah, ao Chile. O casal de animais, os primeiros da espécie a viver no país, também foi transportado pela LATAM Cargo da África do Sul até Santiago (com escala em São Paulo).

“Estamos enviando agora para a Colômbia o fruto dessa relação e dessa história, o primeiro rinoceronte nascido na América do Sul, uma grande honra para a nossa instituição”, diz. “O que o Buin Zoo teve de diferente, que proporcionou essa reprodução, e que outros espaços na América Latina não tiveram, não sei. Talvez o espaço, o cuidado, o carinho.”

O jovem rinoceronte era uma estrela entre os funcionários do zoológico, que viram o parto de sua mãe e todo o processo de crescimento. Mas agora que chegou à adolescência, seu ciclo na instituição chegou ao fim.

“Agora ele vai em busca de formar uma nova família na Colômbia. Foi um longo processo de busca pelo melhor lugar para recebê-lo e acreditamos que seu novo lar [o Bioparque Ukumarí] é o melhor que ele pode ter, onde duas fêmeas o esperam. No entanto, sinto uma mistura de emoções, uma sensação de ninho vazio com a partida do nosso Pantaleón”, reflete Idalsoaga

Escolher o novo lar de Pantaleón foi apenas um dos passos de todo o processo de mudança do rinoceronte. A preparação para o transporte levou meses e envolveu o Buin Zoo, LATAM Cargo e a parceira Bilbao Air Cargo, discutindo e estudando a logística que levaria o animal em segurança até a Colômbia.

O processo de transporte levou ao todo dez horas, sem contar o tempo investido na acomodação do contêiner que o acomodou: uma hora de estrada, em um caminhão, entre o Buin e o aeroporto de Santiago, um voo entre Santiago e Cali de seis horas e outras três horas por terra até Pereira.

Além disso, animal e equipes foram treinados para o momento da viagem. Pantaleón foi ensinado a reconhecer seu contêiner e entrar voluntariamente no espaço – uma caixa construída especialmente para a ocasião e que é suficientemente segura para manter o supermamífero confortável durante muitas horas. Há ainda, é claro, uma importante logística aduaneira em transportes do tipo, de modo a cumprir os requisitos sanitários tanto do Chile quanto da Colômbia.

Pantaleón passou um período em adaptação, mas já está instalado e feliz no Bioparque Ukumarí. A espécie rara, que conta com cerca de 18 mil indivíduos no mundo, já esteve à beira da extinção, mas ainda corre alto risco na natureza, graças ao alto valor que seus chifres têm no mercado. Por isso e para apoiar o trabalho sem par do Buin Zoo que a LATAM Cargo esteve orgulhosamente presente em todo o processo.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias