Com falha de motor, clássico DC-3 quase atinge outro avião ao pousar de barriga

Cena do vídeo que você verá logo abaixo nesta matéria

Um vídeo gravado nesta semana mostra um clássico bimotor dos anos 1940 realizando um pouso de barriga após problemas em um dos motores, em que passou muito próximo de atingir outro avião durante a emergência.

O incidente ocorreu com o Douglas R4D-8 (Super DC-3) registrado sob a matrícula N28TN, da companhia aérea TransNorthen, que estava realizando um voo de carga de Anchorage para Kodiak, ambas cidades no Alasca, Estados Unidos, na última quarta-feira, dia 8 de dezembro.

O DC-3 da TransNorthern envolvido no acidente – Imagem: TransNorthern

De acordo com o Aviation Safety e também dados das plataformas de rastreamento de voos online, a aeronave decolou da pista 07L do Aeroporto Internacional Anchorage-Ted Stevens, com apenas os dois pilotos a bordo, entretanto, ao atingir cerca de 900 pés (em torno de 270 metros) de altura durante a fase inicial de subida, a clássica aeronave sofreu uma perda de potência no motor direito.

Diante da situação, os pilotos declararam emergência e solicitaram o retorno ao aeroporto de partida com apenas curvas à esquerda. No entanto, durante o percurso, os tripulantes decidiram desviar a aeronave para o Aeroporto de Merrill Field, distante cerca de 12 quilômetros da origem.

Trajetória da aeronave envolvida no incidente – Imagem: FlightRadar24

Diversos vídeos, compilados na gravação abaixo, mostram o impressionante momento em que a grande aeronave se aproxima do aeroporto e realiza o pouso. Nas imagens é possível ver que o clássico avião quase atinge outra aeronave que está estacionada em local próximo à pista.

Após pousar de barriga e deslizar por longa distância, a aeronave parou controlada na pista e, apesar das circunstâncias, não houve principio de incêndio e os pilotos saíram ilesos da ocorrência. O DC-3 teve danos nas asas, motores e na parte inferior da fuselagem.

Com o acidente, o aeroporto ficou com as atividades suspensas por cerca de 6 horas.

Não há informações sobre o motivo do pouso de barriga, podendo ser por um problema também com o trem de pouso ou apenas porque os pilotos optaram por não abaixá-lo para não aumentar o arrasto diante da crítica situação de falta de potência.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias