Com falta de tripulantes, Azul dará gratificação em dinheiro para quem trabalhar mais

A falta de tripulantes na Azul Linhas Aéreas tem forçado a empresa a remanejar a escala de seus funcionários e oferecer bônus.

Como relatamos aqui ontem, os primeiros dias do ano têm visto uma série de cancelamentos na Azul por falta de funcionários em diversos setores, já que muitos foram infectados com o Coronavírus ou estão com forte gripe. Tal situação fez a empresa acionar uma contingência.

Em reunião realizada com o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), a Azul apresentou uma proposta para conter os problemas com a falta de tripulantes. O principal foco seria reduzir, de maneira temporária, no máximo até março, a folga dos comissários e pilotos.

Todos os tripulantes de voo hoje tem direito a dez folgas mensais, que seriam reduzidas para nove dada a situação emergencial. Como compensação, a empresa pagaria uma gratificação extra que vai de R$489 até R$2.201, a depender da função e equipamento voado.

Outro ponto proposto pela empresa é a regularização na publicação e mudanças nas escalas, que seriam provisoriamente publicadas de maneira quinzenal e não mensal. Como compensação, os tripulantes receberiam um Vale Alimentação extra de R$463.

As dispensas médicas na Azul cresceram mais de 400%, segundo dados da própria empresa enviados ao SNA, que aponta que o problema maior está concentrado no grupo de comissários de voo, onde a Azul já está recrutando mais pessoal, interno e externo. Confira na íntegra a divulgação das negociações do SNA com a empresa:

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Combustível da aviação comercial está com 102,4% de alta em 12...

0
No Brasil, o preço do QAV chega a ser 40% superior em comparação com a média global, influenciado pela precificação do combustível em dólar.