Com nova onda da Covid, viajantes devem se preparar para problemas, alertam os EUA

Boeing 787 – Imagem: Marco Verch / CC BY 2.0, via Flickr

Com mais uma onda da Covid-19 se espalhando por todo o mundo após a variante Ômicron surgir em países da África e se disseminar, o governo dos Estados Unidos emitiu um comunicado para que todos os viajantes estejam cientes de que poderão encontrar dificuldades em seus deslocamentos internacionais.

Embora destinado especificamente aos cidadãos estadunidenses, o conteúdo pode bem ser tomado como referência por qualquer pessoa viajando pelo mundo, e até mesmo serve como um aviso antecipado a nós brasileiros, afinal, a previsão é que essa nova onda de contágio atinja a América do Sul dentro de mais algumas semanas.

Veja a seguir o conteúdo integral do comunicado emitido na última quinta-feira, 30 de dezembro, pelo Departamento de Estado dos EUA:

“Os cidadãos americanos que optam por viajar para o exterior devem estar cientes de que podem enfrentar desafios inesperados relacionados à COVID-19 ao tentarem retornar aos Estados Unidos ou tentar viajar de um local no exterior para outro. Os cidadãos americanos que optarem por viajar para o exterior devem fazer planos de contingência, pois podem ter que permanecer em um país estrangeiro por mais tempo do que o planejado originalmente, o que será por conta própria. O Departamento recomenda seguro de viagem internacional com cobertura para cancelamento de viagem relacionado à COVID e benefícios médicos. Em geral, o Medicare e o Medicaid não cobrem despesas médicas no exterior.

O Escritório de Assuntos Consulares do Departamento de Estado fornece informações específicas do país e aconselhamento sobre COVID-19 no site de cada Embaixada dos EUA. Atualizamos esses recursos sempre que recebemos novas informações e encorajamos os cidadãos dos EUA a lerem os Avisos de Viagem e as páginas de informações de COVID-19 da Embaixada dos EUA antes de viajar. Cidadãos americanos também devem se inscrever no Programa de Inscrição de Viajante Inteligente (STEP) para atualizações regulares e seguir TravelGov no Twitter, Facebook e Instagram.

Antes de embarcar em um voo para os EUA, todos os passageiros com idade igual ou superior a dois anos, independentemente da nacionalidade ou situação de vacinação, devem apresentar a documentação de um resultado negativo de teste viral obtido dentro de um dia antes da partida do voo para os Estados Unidos, ou a documentação de recuperação de COVID-19. Isso inclui cidadãos dos EUA e residentes permanentes legais (LPRs).

Além disso, alguns países impuseram outros requisitos de viagem. Isso pode incluir quarentena na chegada, requisitos de teste de COVID-19 obrigatórios, prova de vacinação, restrições de viagem e fronteiras fechadas. Alguns países também impuseram restrições de viagem, exigindo quarentena obrigatória para aqueles com teste positivo na partida, o que poderia atrasar a capacidade do viajante de viajar para outro país. Governos estrangeiros em qualquer país podem implementar restrições sem aviso prévio.

Os cidadãos americanos que planejam viajar para o exterior e retornar aos Estados Unidos também devem entrar em contato com sua companhia aérea para obter informações específicas sobre os requisitos de teste para viajantes. As companhias aéreas podem adotar e modificar suas próprias políticas específicas para implementar a regra de teste do CDC.”

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias