Com obras no Aeroporto de Congonhas, moradores vizinhos questionam ações

Moradores ao entorno do Aeroporto de Congonhas estão oferecendo resistência em meio às obras de modernização, melhorias da estrutura e trabalhos que envolvem, principalmente, a construção de uma nova área de escape da pista de pouso principal.

Aeroporto de Congonhas

Outro ponto questionado é a reforma e adequação de algumas áreas do terminal que permitirão a operação internacional da aviação geral executiva – modalidade que Congonhas deixou de ofertar nos anos de 1980 e tenta se reabilitar.

Alguns grupos de moradores e associações, que são vizinhos, temem que as melhorias para o aeroporto causem mais poluições, trânsito e a ampliação do horário de funcionamento, além de considerarem que aeronaves de maior porte poderiam começar a operar em Congonhas.

Segundo relata a Folha de São Paulo, Guilherme Canton, presidente da Associação de Moradores que reúne os habitantes do entorno do aeroporto e do bairro de Moema, disse que não está claro o objetivo de tantas obras e nem da futura concessão: “Queremos saber se, além da questão da segurança, isso vai levar a um outro tipo de funcionamento do aeroporto”.

Um inquérito civil foi aberto em junho pelo Ministério Publico Federal após a associação e mais três entidades levarem tais questionamentos sobre a reforma no aeroporto. Após notificada, a Infraero comentou que a reforma incrementa a segurança, sem intenção de aumentar categoria de aeronave para permitir voos internacionais ou estender o horário de funcionamento do aeroporto.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias