Com voo para a casa da Lego, Europa volta a ter operações regulares do jato Dornier 328

Foto: Sun-Air

Como antecipado há alguns meses, a companhia aérea dinamarquesa Sun-Air confirma seus planos e retoma sua rota do Aeroporto de London City para a cidade de Billund, na Dinamarca, usando seus Dornier 328. O serviço, que estava suspenso desde o começo da pandemia, é operado seis vezes por semana usando os jatos de 35 lugares da empresa. 

A Sun-Air possui uma frota de catorze aeronaves do tipo Dornier 328, sendo a única empresa europeia a oferecer voos regulares com este modelo de aeronave. Por sua vez, Billund abriga a sede mundial da Lego, bem como o complexo turístico Legoland, como relembra a matéria do site Aviacionline.

Uma peculiaridade da companhia aérea é que a experiência de voo é notoriamente distante daquela oferecida pela British Airways, equiparando-se à primeira classe da companhia britânica. Seus voos incluem um menu completo (jantar, almoço, lanche ou café da manhã) mais um serviço opcional.

A gerente do aeroporto da cidade de Londres, Anne Doyere, disse: “Reconstruímos nossa rede e estamos muito satisfeitos em receber de volta a Sun-Air e as conexões para Billund. Estamos otimistas com o resto do ano, especialmente porque muitas empresas importantes indicaram seu desejo de voltar a operar em nosso aeroporto”.

De acordo com o site Business Traveler, a British Airways vai aumentar a capacidade nas suas principais rotas a partir do aeroporto de London City. Edimburgo passará de 30 voos semanais em agosto para 46 em setembro, e Dublin, de 23 para 36. A Swiss e a Lufthansa, por sua vez, vão oferecer 38 voos semanais para Zurique e 36 para Frankfurt a partir deste mês.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Divulgada a Concepção Operacional sobre o gerenciamento do tráfego aéreo não...

0
As normas são de fácil acesso, servindo não somente aos órgãos públicos e privados, mas, principalmente, aos cidadãos de todo o país.