Começam a aparecer na internet os arquivos roubados dos sistemas da Embraer

Imagem: Divulgação / Embraer

Os hackers que invadiram no final de novembro os sistemas da brasileira Embraer, a terceira maior fabricante de aviões do mundo, começaram a despejar na internet dados confidenciais da empresa que foram roubados durante o ataque de ‘ransomware’.

A ação parece ser uma vingança pela recusa da empresa brasileira de pagar um resgate ao ataque, optando por restaurar os ‘backups’ dos sistemas afetados, de acordo com relato da ZDNet publicado nesta segunda-feira, 7 de dezembro.

Os dados comprometidos apareceram em um novo site ‘dark’ criado para publicar informações que vazaram, gerenciado pela gangue de ‘ransomware’ RansomExx, também conhecida como Defray 777.

A Embraer reconheceu em um comunicado em 30 de novembro que o ataque cibernético que acessou “apenas um único ambiente dos arquivos da empresa” ocorreu em 25 de novembro.

Até hoje, a Embraer não especificava que tipo de ataque a empresa sofreu ou se os dados foram roubados do ambiente acessado. Agora, as centenas de megabytes de arquivos de dados encontrados no site da RansomExx mostram pastas relativas a dados de funcionários, subcontratos da cadeia de suprimentos e código-fonte, modelos 3D e fotos de aeronaves Embraer.

Segundo imagem compartilhada pelo ZDNet, os arquivos já divulgados possuem os seguintes nomes:

– Employees information;
– Nigeria A-29 Program;
– Photos;
– OFD 2.0 abertura CPV;
– Supply Chain Subcontract;
– Fotos Filmes Figuras;
– RIG Prototipo;
– PIPO;
– Super Tucano sources, 3D models;
– Embraer QNX source code.

Ao final da lista, o site da RansomExx ainda informa “To be continued…”, ou seja, mais informações serão publicadas no local, porém, não é possível saber se serão da própria Embraer ou de outras invasões.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias