Como produtores rurais ajudaram nas obras de um aeroporto no Rio Grande do Sul

Foto: ACISA Santo Ângelo

No mês de junho, o AEROIN havia informado sobre um acordo firmado entre a Prefeitura de Santo Ângelo (RS) e o Sindicato Rural local para realizarem, em conjunto, o aterramento necessário numa das cabeceiras da pista do Aeroporto Regional Sepé Tiaraju. À época, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul foi criticado pelas partes, que alegavam era dele a responsabilidade pela tarefa, mas que, diante da necessidade urgente de viabilizar os voos no aeroporto, resolveram não esperar e organizaram uma força-tarefa.

Foi assim que, na manhã de 11 de julho, cerca de uma centena de máquinas, entre tratores, motoniveladoras, rolos compactadores, dragas e escavadeiras, de produtores rurais e empresários locais iniciaram os trabalhos, que durou onze dias e foi entregue em 22 de julho. Não fosse pelo mutirão, o prazo para tal obra poderia chegar até a seis meses, segundo a prefeitura.

Por finalidade, toda essa movimentação buscou ampliar o espaço de segurança localizado ao final da pista de pouso, a chamada RESA (Runway End Safety Area) ou vulgarmente, a “área de escape”. De acordo com o projeto, a RESA de Santo Ângelo deveria ter 90 metros de comprimento, 60 metros de largura e mais de 6 metros de desnível.

A concretização da obra era uma necessidade para a operação nas duas cabeceiras para a aeronave Boeing 737-700 e 737-8800 da Gol Linhas Aéreas. Um dos requisitos operacionais era a RESA, tem como objetivo reduzir o risco de danos aos aviões em caso de toque antes de alcançar a cabeceira ou que ultrapassem acidentalmente o fim da pista de pouso e decolagem.

Para o presidente da ACISA Missões, Mauro Tschiedel, uma das entidades que esteve à frente do movimento em prol do Aeroporto, “a união que estamos vendo hoje vai frutificar em várias áreas, por vários anos, pois demonstra uma visão de futuro necessária para o nosso desenvolvimento. A contribuição que os produtores estão dando para a nossa região é algo inédito, e como presidente da ACISA, me sinto muito feliz de estar vivendo este momento de união e empenho”.

Abaixo, um vídeo gravado durante o mutirão.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião sobrevoa a pista mas não pousa porque os pilotos estavam...

0
Um caso grave deu-se na Ethiopian e poderia ter causado um acidente, quando um Boeing 737 não pousou pelo fato dos pilotos estarem dormindo.