Companhia aérea americana conversa com a Airbus para voar com aviões Beluga

Nos últimos anos, a empresa aérea americana National Air Cargo se dispôs a abrir uma série de frentes de operação, visando expandir sua atuação mundo afora. A pandemia, inclusive, ajudou a empresa nesta tarefa, num momento em que aviões eram escassos e o frete aéreo internacional estava valendo uma fortuna.

Tendo aproveitado o período, a companhia também aumentou a frota e o número de contratos em todo o mundo, inclusive no Brasil. E esse ímpeto segue adiante, com a empresa disposta a entrar mais firme no mercado de cargas de grandes dimensões.

Para tanto, adquiriu dois Boeing 747-400F, construídos de fábrica como aeronaves cargueiras e, portanto, com a porta de carga frontal, tão importante para o embarque de itens de grande volume. Essas aeronaves já começam a voar a partir do próximo mês na frota da National.

No entanto, suas ambições não param por aí. Como reportou o site Freight Waves, especializado no transporte de cargas, a companhia também deseja operar com aeronaves Airbus A300-600ST, o popular Beluga, e conversa com a fabricante europeia sobre isso. Seu objetivo seria expandir a oferta de produtos, podendo levar também tanques, iates, satélites e transformadores elétricos, entre outros.

A operação dos Belugas, caso se concretize, não ficará a cargo da National, já que trata-se de um avião muito especial, que requer pilotos especializados. Portanto, a própria unidade de fretamento aéreo da Airbus seria a operadora e a National a agenciadora da cargas (responsável por fechar os contratos de transporte com os clientes finais).

Com poucas unidades produzidas, o Beluga apenas tem sido recentemente empregado em fretamentos porque a Airbus criou uma versão modernizada da aeronave, o Beluga XL. Entendendo que os jatos ainda têm uma certa vida útil pela frente, a Airbus criou uma linha de negócios de fretamento para usá-los. No ano passado, um Beluga (foto acima) trouxe um helicóptero adquirido por um empresário brasileiro.

Carlos Ferreira
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Aeroporto de Cascavel faz buracos na cerca para fotógrafos registrarem pousos...

0
Desde novembro a gestão do espaço instalou buracos na cerca operacional do aeroporto que estão reservados e sinalizados para aos fotógrafos.