Companhia aérea chama a polícia enquanto acusa jovem de traficar sua irmã adotiva

Uma mulher negra foi acusada de traficar sua irmã adotiva branca em um voo recente da Frontier Airlines de Denver para Dallas, resultando na chamada da polícia e na detenção breve da mulher para interrogatório.

Fotos: Airbus e arquivo pessoal

Lakeyjanay Bailey, de 21 anos, estava viajando com sua irmã adotiva Olivia, de 4 anos, na terça-feira da semana passada (20), no que deveria ser um voo rotineiro. Acontece que, na chegada a Dallas, as duas foram recebidas por policiais fizeram um interrogatório ali mesmo, na frente de outros passageiros. 

“Havia dois policiais e eles vieram até mim e disseram: ‘Tudo bem se falarmos com vocês?’”, disse Bailey à rede ABC. Diante de uma despretensiosa resposta positiva, um dos policiais começou a questionar a pequena Olivia sobre como ela conhecia sua irmã e outras perguntas pessoais sobre seu relacionamento com outros membros de sua família adotiva. 

“O tempo todo em que conversaram conosco, as pessoas ficaram nos olhando, sussurrando e outras coisas”, disse Bailey sobre a experiência. “Se os papéis mudassem e fosse uma pessoa branca saindo do avião com uma criança negra, eu sinto que as coisas seriam diferentes”, ela continuou.

Um porta-voz da polícia de Dallas disse que eles foram chamados para receber o avião pela própria empresa aérea, sob denúncia de um possível tráfico de pessoas. A companhia aérea, por sua vez, confirmou que chamou a polícia após as preocupações levantadas por um passageiro no voo.

Disse a empresa:

“Uma preocupação foi levantada durante o voo por outro passageiro que estava sentado perto da mulher e da criança e suspeitou de tráfico de pessoas. Esse passageiro abordou a tripulação de voo com essas preocupações e preencheu um resumo por escrito durante o voo para documentar suas observações. O comandante foi notificado e sentiu-se na obrigação de relatar o assunto. As viagens aéreas são um dos meios mais comuns de tráfico de pessoas. A tripulação de voo estava seguindo os protocolos estabelecidos”.

Em fevereiro de 2017, uma a comissária de bordo da Alaska Airlines ajudou a resgatar uma vítima de tráfico humano em um voo, após suspeitar de um homem que viajava com uma jovem adolescente.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias