Companhia aérea pode demitir funcionário que vazou segredo de senador ‘fujão’

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O senador republicano Ted Cruz ficou em maus lençóis após ser flagrado indo para Cancun enquanto seu estado “congelava” em problemas. A viagem, que era para ocorrer longe dos holofotes, acabou vindo à tona depois e a situação piorou depois que um funcionário vazou informações dos voos do senador.

O caso aconteceu na última quarta-feira (17), quando o senador americano embarcou num voo da United Airlines do Texas para Cancun, destino mexicano popular entre os turistas e que inclusive está aberto para brasileiros. Seria mais uma viagem casual, já que o senador tem pais cubanos, nome hispânico e se considera latino, apesar de ter nascido no Canadá e ser cidadão americano.

No entanto, como a viagem foi realizada em plena pandemia e no momento que seu estado “natal” dos EUA, o Texas, passava por diversos problemas por causa da grande nevasca histórica, o assunto caiu como uma luva nas mãos de grupos contrários às ideias do senador.

De início, ele foi flagrado por passageiros e funcionários do aeroporto, enquanto embarcava para Cancun. Por conta disso, ele logo se justificou que iria apenas acompanhar a filha e que no outro dia estaria de volta ao Texas pela tarde. Até aí, seria mais um caso polêmico, até similar ao que aconteceu com o Governador de SP, João Dória, que saiu as vésperas do feriado de final de ano para Miami, enquanto o seu estado foi colocado em fortes restrições.

Acontece que, no caso do senador americano, a situação piorou quando um funcionário da United Airlines vazou a informação de que ele tinha apenas comprado bilhete de ida, e que não tinha nenhum bilhete de volta, em nenhuma data, desmentindo a afirmação do senador que seria um bate-volta. Com isso, a polêmica aumentou e o senador foi obrigado a voltar, pedindo desculpas sob muitas vaias. Inclusive precisou ser escoltado pela polícia após o desembarque no Texas para evitar ataques.

Por conta disso, a United informou que está investigando quem acessou a reserva de Ted Cruz e que todas as opções estão sobre a mesa, inclusive a demissão do funcionário.

Cruz se tornou um senador relevante porque ficou próximo de ser o candidato republicano nas eleições de 2016, sendo o segundo nas primárias do partido, em que Trump foi escolhido e venceu a democrata Hillary Clinton, posteriormente. Ele é considerado o republicano mais relevante no Texas hoje em dia e sua popularidade inclusive subiu porque ele reconheceu a derrota nas primárias, mas não apoiou oficialmente Donald Trump.

O rumor é que a United seja boicotada em algum nível pelos republicanos, que são maioria no Texas, onde fica a segunda maior base de operações da empresa, em Houston. Além do vazamento da informação sobre não ter voo de retorno, quando foi forçado a voltar, alguém da United informou em qual voo ele chegaria, fazendo com que repórteres o esperassem no desembarque.

Por outro lado, o Sindicato de Comissários saiu em defesa do funcionário (que ainda não foi identificado e não se sabe o seu cargo), afirmando que Cruz não é um passageiro, e “sim um funcionário público que mentiu várias vezes, TODOS NÓS SOMOS O INFORMANTE”, afirmou a presidente da entidade:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias