Conflitos sequenciais de tráfego envolvem cinco aviões comerciais a 36 mil pés sobre Madri

As cinco aeronaves envolvidas, conforme descrito a seguir – Imagem: FlightRadar24

Uma complexa situação de conflitos sequenciais de tráfego ocorreu no último sábado, dia 3 de setembro, no espaço aéreo dos arredores de Madri, na Espanha, quando cinco aviões estiveram envolvidos, incluindo o chamado “Resolution Advisory (RA)”, alerta automático que é acionado para afastar o risco de colisão quando não são respeitadas as separações mínimas de segurança em voo.

Conforme reportado pelo The Aviation Herald, as cinco aeronaves entraram em conflito em alto nível de voo (FL350 e FL360, ou 35 mil e 36 mil pés de altitude) sobre Madri, em um cenário de tráfego complexo, levando à série de separações comprometidas e RA dos TCAS (Sistema de Alerta de Tráfego e Prevenção de Colisão).

Um dos aviões era o Boeing 737-800 da Ryanair registrado sob a matrícula G-RUKB, realizando o voo RK-1365 de Rabat, no Marrocos, para Londres Stansted, na Inglaterra. Ele estava no rumo norte no FL360 a cerca de 30 milhas náuticas a oeste de Madri.

Outro era o Airbus A320 da Nouvelair registrado sob a matrícula TS-INO, realizando o voo BJ-6131 do Porto, em Portugal, para Djerba, na Tunísia. Ele estava no rumo leste no FL360 a cerca de 40 milhas náuticas a oeste de Madri, quando o controlador inicialmente instruiu para que virassem o A320 à direita.

A tripulação questionou se a curva seria à esquerda ou à direita, e o controlador então mudou a instrução para que virassem o A320 cerca de 40 graus para norte (esquerda), pois reconheceu que a separação com o 737-800 da Rynair estaria comprometida. Ao mesmo tempo, aos pilotos da Ryanair foi instruído a descer para o FL350 e virar 40 graus para a direita.

O terceiro avião envolvido foi o Airbus A320 da British Airways registrado sob a matrícula G-EUUE, realizando o voo BA-493 de Málaga, na Espanha, para Londres Heathrow, na Inglaterra. Ele estava voando no sentido norte no FL360, cerca de 20 milhas náuticas ao sul de Madri.

Como resultado da recuperação do primeiro conflito de separação acima descrito, surgiu agora um conflito entre o A320 da British e o A320 da Nouvelair. A aeronave da British subiu temporariamente para o FL370 e desceu de volta para FL360 depois de estar livre de conflito.

Na sequência, o quarto e o quinto aviões envolvidos foram um Boeing 737 e um Airbus A320.

O quarto foi o Boeing 737-800 da Ryanair registrado sob a matrícula EI-ENA, realizando o voo FR-656 de Málaga, na Espanha, para Glasgow Prestwick, na Escócia. Ele estava no sentido norte no FL360 cerca de 40 milhas náuticas ao sul de Madri.

O quinto foi o Airbus A320 da Vueling registrado sob a matrícula EC-JTR, realizando o voo VY-8829 de Paris Charles de Gaulle, na França, para Sevilla, na Espanha. Ele estava no sentido sudoeste subindo até o FL350 a cerca de 70 milhas náuticas a nordeste de Madri.

Os novos conflitos destas duas últimas aeronaves ocorreram também como resultado da recuperação da primeira separação comprometida.

Além do conflito com o A320 da British, o A320 da Nouvelair também entrou em conflito com o 737-800 EI-ENA da Ryanair. Os pilotos foram agora instruídos a virar 90 graus à direita e os da Ryanair a virar 40 graus à direita, o que, no entanto, não resolveu o conflito.

Com isso, houve o aviso de Resolution do TCAS, levando o Boeing 737 a descer para livrar o FL360, o que, no entanto, causou um conflito adicional com o A320 da Vueling no FL350.

Os pilotos do Boeing 737 pararam a descida no FL357 e, com isso, o jato passou por baixo do A320 da Nouvelair com separação vertical de cerca de 400 pés (122 metros) e separação horizontal de cerca de 5 milhas náuticas (9,3 km).

Na sequência, o Boeing 737 retornou ao FL360 para se livrar do conflito com o A320 da Vueling.

Finalmente, todas as aeronaves estavam em trajetórias divergentes, e seguiram para seus destinos sem mais incidentes.

A imagem a seguir, publicada pelo The Aviation Herald a partir dos dados ADS-B emitidos pelos aviões envolvidos, mostra as trajetórias e altitudes dos cinco voos.

A pessoa que acompanhava a frequência de comunicação e informou ao The Aviation Herald sobre a ocorrência também comentou que o controlador de tráfego aéreo já havia recebido outros alertas de tráfego antes mesmo dessa sequência de eventos acontecer.

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Passageiros que levaram seu próprio álcool para o voo e agrediram...

0
No Tribunal Distrital de Bangor, nos Estados Unidos, dois homens de Manchester, na Inglaterra, confessaram sua culpa por atrapalharem