Cubana de Aviación nega cessação de operações após bloqueio da IATA

Avião Ilyushin IL-96-300 Cubana de Aviación
Imagem: Pedro Aragão / CC BY-SA 3.0 GFDL, via Wikimedia Commons

No final da semana passada, a IATA emitiu um comunicado informando que a empresa estatal Cubana de Aviación não participa mais do seu Billing and Settlement Plan (BSP), significando que todas as agência devem interromper a emissão de passagens, documentos eletrônicos de uso múltiplo e reembolsos em nome desta companhia aérea.

A IATA toma esse tipo de decisão sempre que observa riscos ao ecossistema. Um desses riscos refere-se a problemas de crédito, que é exatamente o que afeta a Cubana. No caso, a empresa tem enfrentado dificuldades com o banco liquidante de suas transações em razão das sanções americanas e isso pode resultar em atrasos e dificuldades nos reembolsos e pagamentos às agências.

Segundo apurou a agência EFE, a empresa aérea diz que seguirá operando aos seus destinos internacionais, especialmente na América e Europa (Madri), e que honrará seus compromissos. É inegável, no entanto, suas dificuldades para fazer seus voos “pararem em pé”.

No Facebook, a empresa aérea também confirmou seu esclarecimento de que as operações permanecem intocadas.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias