Início Mercado

Delta redesenhará seus Boeing 737 NG para que causem menor arrasto durante os voos

Em um mercado onde o preço do galão de combustível aumenta mês após mês, as companhias aéreas buscam maneiras de equilibrar suas despesas operacionais. Assim, a Delta Air Lines testará a tecnologia de redução de arrasto do Aero Design Labs (ADL) em suas aeronaves Boeing 737-800 e 737-900, o que permitirá que os aviões melhorem sua aerodinâmica e usem menos combustível durante os voos.

Como informa o site Aviacionline, em julho passado a WestJet foi o primeiro cliente a redesenhar seus Boeing 737 com a solução da ADL, que recebeu seu primeiro Certificado de Tipo Suplementar (STC) para o 737-700 em maio de 2022 e pretende certificar seus kits em outras regiões geográficas após a aprovação da Federal Aviation Administration (FAA).

O memorando de entendimento (MoU) das empresas inclui testes e certificação FAA da tecnologia para os 737-800 da Delta a partir do primeiro trimestre de 2023, seguindo a frota B737-900 no segundo semestre do mesmo ano. A Delta terá a opção de comprar kits ADRS mediante certificação para equipar a maioria de suas mais de 200 aeronaves nas duas frotas.

De acordo com o Aero Design Lab, o kit consiste em uma carenagem modificada na asa, fuselagem, ponta da asa, trem de pouso, aerodinâmica revisada em torno do duto de saída de ar do pacote do sistema de controle ambiental (ECS) e vários geradores de vórtice estrategicamente posicionados.

“Isso faz parte da abordagem geral da Delta para tomar ações de curto, médio e longo prazo para atingir nossa meta de emissões líquidas zero até 2050”, disse Pam Fletcher, diretora de sustentabilidade da Delta.

Chris Jones, Diretor Comercial da Aero Design Labs, acrescentou: “A Delta Air Lines tem um histórico comprovado de liderar o setor em inovação e estamos orgulhosos de firmar nosso contrato e parceria no processo de obtenção da certificação FAA. Esta é uma parceria formada pela Delta e Aero Design Labs para contribuir com as metas líquidas de redução de carbono para 2050 da Associação Internacional de Transporte Aéreo”.

A Delta espera reduzir o consumo de combustível em mais de 10 milhões de galões por ano, por meio de modificações operacionais e de frota, como velocidades de voo otimizadas, procedimentos de pouso aprimorados e instalação de winglets aprimorados.

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.