Do azul ao vermelho: por que as aéreas no Brasil perderam R$ 8,0 bi após lucrarem R$ 4,5 bi?

Imagem: Infraero

Como reportado na quinta-feira, 11 de agosto, a Azul Linhas Aérea publicou seus resultados do 2º trimestre de 2022 (2T22), demonstrando um prejuízo líquido de R$ 2,6 bilhões no período. Assim, somando-se os resultados das três grandes empresa aéreas do mercado doméstico brasileiro no mesmo período, o saldo foi um prejuízo de quase R$ 8,0 bilhões no 2T22.

Diante do valor, muitas pessoas passaram a questionar: como foi possível uma reversão para um prejuízo tão grande após o 1º trimestre de 2022 (1T22) ter resultado em lucro líquido de cerca de R$ 4,5 bilhões na soma das mesmas três empresas?

Quem acompanhou a matéria dos resultados da Azul na quinta-feira talvez já tenha entendido o racional por trás dessa reversão, mas para um maior detalhamento, o conteúdo a seguir apresenta mais informações sobre esse aspecto em específico.

Os voos vão bem, o problema é outro

Embora muitas pessoas tenham sugerido que os altos preços das passagens aéreas teriam causado falta de passageiros e o consequente prejuízo, a situação real é contrária. Em termos das operações aéreas, as companhias seguem evoluindo, com melhora na eficiência das operações de voo, boas ocupações e aumento de receita, começando a compensar os impactos da pandemia.

Na verdade, o “vilão” dos enormes prejuízos do 2T22 foi a variação cambial (alta do dólar). Por sinal, também havia sido o “trunfo” do grande lucro do 1T22 (queda do dólar), pois uma parte relevante dos custos das empresas aéreas é dada em dólar.

No gráfico a seguir, é possível notar como ao longo do 1T22 (de 1 de janeiro a 31 de março) o dólar caiu de mais de R$ 5,60 para menos de R$ 4,70, ajudando a reduzir custos das empresas aéreas, enquanto ao longo do 2T22 (de 1 de abril a 30 de junho) o dólar subiu de volta para quase R$ 5,30.

Gráfico: TradingView

Assim, nos dados apresentados a seguir, estão separados os resultados operacionais e os financeiros, para que se tenha maior clareza de qual foi o impacto de cada um no lucro do 1T22 e no prejuízo do 2T22. Há também todo o histórico dos dois primeiros semestres desde 2019, para uma comparação da evolução desde antes da pandemia.

Nota: como o foco é o mercado brasileiro, estão listados apenas os resultados da Azul e da Gol, já que os da Latam envolvem todos os países em que ela opera.

Gol Linhas Aéreas

Resultados Operacionais

1T19: lucro de R$ 506,2 milhões
2T19: lucro de R$ 318,9 milhões

1T20: lucro de R$ 1,025 bilhão
2T20: prejuízo de R$ 897,6 milhões

1T21: prejuízo de R$ 522,5 milhões
2T21: prejuízo de R$ 810,2 milhões

1T22: lucro de R$ 77,1 milhões
2T22: prejuízo de R$ 191,9 milhões

Resultados Financeiros

1T19: prejuízo de R$ 401,1 milhões
2T19: prejuízo de R$ 418,1 milhões

1T20: prejuízo de R$ 3,244 bilhões
2T20: prejuízo de R$ 1,096 bilhão

1T21: prejuízo de R$ 1,962 bilhão
2T21: lucro de R$ 1,480 bilhão

1T22: lucro de R$ 2,661 bilhões
2T22: prejuízo de R$ 2,777 bilhões

Saldos – Operacional + Financeiro

1T19:lucrode R$ 105,1 milhões
2T19:prejuízode R$ 99,2 milhões

1T20:prejuízode R$ 2,218 bilhões
2T20:prejuízode R$ 1,994 bilhão

1T21:prejuízode R$ 2,485 bilhões
2T21:lucrode R$ 669,7 milhões

1T22:lucrode R$ 2,738 bilhões
2T22:prejuízode R$ 2,968 bilhões

Azul Linhas Aéreas

Resultados Operacionais

1T19: lucro de R$ 335,6 milhões
2T19: lucro de R$ 339,9 milhões

1T20: lucro de R$ 158,8 milhões
2T20: prejuízo de R$ 1,024 bilhão

1T21: prejuízo de R$ 214,1 milhões
2T21: prejuízo de R$ 400,2 milhões

1T22: lucro de R$ 70,7 milhões
2T22: lucro de R$ 136,5 milhões

Resultados Financeiros

1T19: prejuízo de R$ 258,9 milhões
2T19: prejuízo de R$ 40,5 milhões

1T20: prejuízo de R$ 6,560 bilhões
2T20: prejuízo de R$ 2,126 bilhões

1T21: prejuízo de R$ 2,438 bilhões
2T21: lucro de R$ 1,473 bilhão

1T22: lucro de R$ 2,588 bilhões
2T22: prejuízo de R$ 2,762 bilhões

Saldos – Operacional + Financeiro

1T19:lucrode R$ 76,7 milhões
2T19:lucrode R$ 299,4 milhões

1T20:prejuízode R$ 6,401 bilhões
2T20:prejuízode R$ 3,150 bilhões

1T21:prejuízode R$ 2,652 bilhões
2T21:lucrode R$ 1,073 bilhão

1T22:lucrode R$ 2,659 bilhões
2T22:prejuízode R$ 2,625 bilhões

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Infraero levará interessados para ver e tirar fotos de aviões do...

0
Em comemoração aos 86 anos de sua inauguração, o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro (RJ), realizará, no dia 3/12, uma nova