Início Empresas Aéreas

Em iniciativa pioneira, aviões da Latam serão atendidos por veículos elétricos no Brasil

A Latam Airlines, a empresa de ground handling Real Aviation e a BH Airport anunciaram, na manhã desta terça-feira (28), o início de uma iniciativa conjunta para que os serviços de solo prestados aos voos da empresa aérea no aeroporto internacional de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, sejam atendidos por veículos elétricos.

De início, são esperados 50% dos voos da Latam atendidos por essa tecnologia, o que significa cerca de 10 operações diárias. A iniciativa fará a LATAM deixar de emitir 114 toneladas de CO2 nos próximos 12 meses no aeroporto mineiro. Esse volume corresponde ao consumo equivalente de CO2 dos equipamentos movidos a diesel usados para atender a sua operação hoje. No futuro, a ideia é que a oferta seja expandida para atingir o total dos voos da aérea no aeroporto mineiro.

Segundo os representantes das empresas, foram investidos R$ 30 milhões em conjunto, sendo a maior parte do montante destinada para a compra dos equipamentos e preparação da infraestrutura do aeroporto para operar os veículos elétricos.

Enquanto a infraestrutura do aeroporto, incluindo a subestação de energia, os pontos de recarga e os locais desses pontos, poderá ser utilizada futuramente por outros operadores, a parceria da Latam com a Real, para uso dos veículos elétricos, foi firmada em caráter de exclusividade. O valor do contrato da Latam com a Real não foi informado por motivos de confidencialidade.

Esta será a primeira operação da Latam com essas características em toda a América do Sul. A ideia é que o projeto tenha seu escopo expandido para outros aeroportos no país e na região com o passar do tempo, em alinhamento com a estratégia da empresa de zerar completamente as emissões de CO2 nas operações de Gound Handling.

As três principais metas de sustentabilidade da LATAM são:

– Eliminar plásticos de uso único até 2023 e ser uma companhia zero resíduos para aterro sanitário até 2027.

– Compensar 50% das emissões de CO2 de nossos voos domésticos até 2030.

– Ser uma companhia 100% carbono neutro até 2050.

Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.