Em meio ao caos do aeroporto de Cabul, refugiados pagam R$ 208 numa garrafinha d’água

Reprodução Twitter

Uma reportagem recente mostra que, em meio à tragédia humana do Afeganistão que o mundo assiste nos últimos dias, há gente que se aproveita da condição miserável das pessoas que esperam desesperadamente fugir do Afeganistão pelo aeroporto de Cabul. Em meio muito lixo e entulho, tem gente oferecendo garrafinhas d’água por até US$ 40 (cerca de R$ 208).

Na matéria da agência de notícias Reuters, um afegão diz que “no aeroporto de Cabul, uma garrafa de água é vendida por 40 dólares americanos e um prato de arroz por 100 dólares americanos; não Afghani (moeda local), mas dólares. Isso está fora do alcance das pessoas comuns.” Outro afegão acrescentou: “As pessoas estão se aglomerando e, por causa da pressa, mulheres e crianças estão em condições miseráveis”.

Esse preço, no entanto, acaba sendo pago por cidadãos americanos e outros ocidentais que também tentam fugir do país e esperam no aeroporto.

Em meio a todo esse caos, duas explosões terroristas, reivindicas pelo Estado Islâmico, mataram mais de 70 nas imediações do aeroporto, incluindo 12 militares dos EUA, enquanto o prazo dado pelo Talibã para as evacuações se esvai rapidamente, com uma data-limite estabelecida para 31 de agosto. Agências humanitárias alertaram sobre uma crise humanitária iminente para a população deixada para trás após a retirada completa dos americanos.

Com poucos dias restantes, dezenas de milhares de afegãos, temendo perseguição, seguiram ao aeroporto de Cabul. Até agora, mais de 70.000 pessoas foram evacuadas, incluindo ocidentais, pessoal da OTAN e afegãos em risco.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

No aeroporto de Brasília, dois cães são destaque nas descobertas de...

0
Apenas em 2022,  os auditores e analistas da Receita Federal no aeroporto de Brasília já interceptaram mais de 200 kg de droga.