Embraer 170 rastreia objetos espaciais e demonstra voo com precisão sem GPS

E170 N170EH 250719Embraer E170 da Honeywell – Imagem: Nik Deblauwe, via Flickr

A Honeywell anuncia que demonstrou com sucesso várias tecnologias avançadas de navegação alternativa que visam ajudar a garantir uma navegação perfeita, mesmo quando os sinais de GPS são bloqueados, interrompidos ou indisponíveis. Os testes ocorreram em uma aeronave Embraer E170 e em um helicóptero AgustaWestland AW139.

Sistemas de navegação alternativos usam sensores como câmeras, rastreadores de estrelas, radares e rádios para aumentar e/ou auxiliar os sistemas de navegação inercial. Esses sistemas corrigem sistemas de navegação inercial em ambientes onde os sistemas globais de navegação por satélite (GNSS) são negados.

Exemplos de usos das tecnologias – Imagem: Honeywell

“Nossos clientes estão vendo um aumento nas interrupções de navegação intencionais e não intencionais, incluindo interferência na navegação baseada em GNSS”, disse Matt Picchetti, vice-presidente e gerente geral de Navegação e Sensores da Honeywell Aerospace. “Não havia um único conjunto de soluções que atendesse a todas as necessidades operacionais de nossos clientes, então decidimos criar um. Nossas tecnologias de navegação alternativas modulares e escaláveis ​​estão estabelecendo uma nova referência em termos de confiabilidade e desempenho em ambientes sem GNSS em comparação com o que está disponível na aviação hoje.”

Tecnologias alternativas de navegação fornecem informações vitais de posição, velocidade e direção em ambientes com GNSS negado. As tecnologias demonstradas com sucesso a bordo do E170 e AW139 incluem o seguinte:

– Navegação assistida por visão: O sistema de navegação assistida por visão da Honeywell alcançou desempenho semelhante ao GPS nas plataformas Embraer E170 e AW139 durante condições de GPS negado.

Além disso, a tecnologia mostrou 67% de melhoria no desempenho negado por GPS em comparação com testes anteriores no ano passado. O sistema usa um feed de câmera ao vivo e o compara com mapas para fornecer uma posição absoluta passiva, não bloqueável e altamente precisa;

– Navegação Auxiliada Celestial: O sistema de Navegação Auxiliada Celestial da Honeywell no Embraer E170 alcançou uma precisão de 25 metros de probabilidade de erro circular de 50% (CEP50). Isso representou uma melhoria de 38% no desempenho negado por GPS em comparação com os testes do ano passado.

Mais importante ainda, esta é a primeira vez que uma solução de navegação baseada em Objetos Espaciais Residentes (RSOs) foi demonstrada em uma plataforma aérea, já que a maioria das soluções concorrentes dependem apenas de navegação baseada em estrelas.

O sistema utiliza um rastreador de estrelas para observar estrelas e RSOs para fornecer uma solução passiva, não bloqueável, com precisão semelhante ao GPS em condições de negação ou falsificação de sinal de GPS;

– Navegação Auxiliada por Anomalia Magnética: A Honeywell conduziu a primeira navegação auxiliada por anomalia magnética em tempo real do mundo em uma plataforma aérea – o Embraer E170. Este é um marco histórico, pois quase todos os testes magnéticos anteriores foram feitos em ambientes especiais para mitigar o ruído eletromagnético.

A Honeywell demonstrou essa tecnologia passiva, não bloqueável, para todos os climas, 24 horas por dia, 7 dias por semana em uma plataforma incorporada, que mede a força magnética da Terra e a compara com mapas magnéticos para identificar com precisão a posição do veículo.

Além das três tecnologias acima listadas, a Honeywell ainda demonstrou que os sistemas de navegação inercial, quando emparelhados com o GPSDome (dispositivo anti-bloqueio), mostraram uma melhoria significativa na precisão da posição e no desempenho da integridade do GPS na presença de interferência.

A capacidade do GPSDome de permitir o rastreamento de satélites GPS em ambientes de interferência mais agressivos reduz as degradações de desempenho que vêm com condições de GNSS negado.

Os sistemas de protótipos de navegação alternativos estarão disponíveis ainda em 2022, com entregas iniciais previstas para começar em 2023.

Os sistemas de navegação da Honeywell são usados ​​por quase todas as aeronaves que voam hoje para guiar milhões de passageiros aos seus destinos. Desde 1914, quando o primeiro piloto automático usou os giroscópios da Honeywell para manter o avião estável durante o voo, a Honeywell forneceu mais de 500.000 sensores inerciais de alto desempenho em várias plataformas em terra, no ar e no mar.

Informações da Honeywell

Murilo Basseto
Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e com Pós-Graduação em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Após reunião com SNA, Infraero diz que vai melhorar acesso à...

0
O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) informou que se reuniu com a Infraero, atual administradora do aeroporto Santos Dumont