Embraer ainda aposta na Lufthansa como futuro cliente dos jatos E2

Um dos principais clientes da Embraer na Europa ainda não se decidiu por qual caminho seguir e a fabricante brasileira continua apostando suas fichas nele.

Imagem: Embraer

O grupo Lufthansa atualmente conta com uma diversa frota, orgânica e em suas subsidiárias, operando jatos canadenses Bombardier CRJ e Airbus A220, e os brasileiros E-Jets da Embraer. Porém a sua malha regional, hoje operada pela Cityline, tem apenas de jatos CRJ e E-Jets de primeira geração, que logo precisarão ser substituídos. Com isso, a Embraer novamente aposta na força seu produto.

Além dos jatos citados acima, a subsidiária Swiss aluga aviões e tripulação da Helvetic Airways, umas das primeiras operadoras do E190 E2 e E195 E2. Por outro lado, nas mesmas rotas estão os A220 orgânicos da Swiss, e nas rotas entre a Suíça e Alemanha também é possível ver os CRJ e E-Jets de primeira geração.

Segundo Cesar Pereira, Vice-Presidente de Vendas e Marketing da Embraer para Europa e Oriente Médio, a Lufthansa consegue fazer um comparativo ideal entre as fabricantes e modelos, justamente por conta de sua própria frota diversificada.

“É bom que eles conseguem comparar, mas sempre é um casamento, precisa dos dois concordarem“, afirma o executivo sobre as conversas que vem tendo com os alemães, em entrevista durante a IATA AGM 2022.

Atualmente, a Lufthansa tem 9 jatos E190 E1 e 28 jatos CRJ-900, e a associada italiana Air Domiliti mais 17 aviões E195 E1, fazendo assim ao menos 54 jatos a serem substituídos em breve.

A cobertura completa do AEROIN na 78ª AGM da IATA, direto de Doha, pode ser conferida neste link.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias