Embraer explica o que faz os aviões E2 serem alinhados à meta de carbono neutro

Embraer 195-E2

Para cumprir a meta de reduzir as emissões poluentes e ser uma empresa neutra em carbono, a Embraer trabalha buscando melhorar continuamente a forma como constrói seus aviões. E a fabricação das cabines dos E-Jets E2, os mais modernos modelos de seu portfólio, usa processos e produtos mais sustentáveis ​​do que nunca.

A seguir estão algumas das maneiras apresentadas pela fabricante brasileira de aviões pelas quais tornou as cabines dos E2 mais “verdes”.

Primers e Tintas

Compostos derivados de Cromo VI (cromo hexavalente), que são comumente encontrados em tintas, primers e tratamentos de superfície, são classificados como materiais perigosos. Assim, a Embraer usa os sistemas de pintura à base de água e sem cromo em todas as peças de compósitos.

Em superfícies metálicas externas (como a fuselagem), a fabricante usa primer e tintas livres de Cromo VI. Em peças (estruturas) metálicas de interiores, a Embraer desenvolveu um novo primer à base de água que reduz os compostos Cromo VI em 40%.

Com as medidas adotadas, foram eliminados os compostos orgânicos voláteis e reduzidas em 75% todas as emissões associadas ao processo de pintura.

Fixações

A Embraer cortou os compostos orgânicos voláteis (VOCs) em até 93% quando mudou seus processos de união de partes, trocando colas/adesivos de diversas naturezas por adesivos à base de água nos revestimentos internos de paredes, caixas, divisórias, tetos, painéis, galleys (cozinhas) e banheiros.

Banheiros

Os novos banheiros nos E2 usam quase metade do volume de água de descarga em relação aos E-Jets de primeira geração. A água usada nas pias é retida no tanque de resíduos, o que reduz o volume geral da descarga de água no ar em voo.

Com isso, a Embraer removeu um dispositivo de drenagem do exterior da fuselagem, o que reduziu o arrasto e diminuiu o consumo de combustível.

Os banheiros ainda têm torneiras sem toque opcionais à escolha da empresa aérea, que requerem menos água do que as torneiras manuais.

Poltronas

A Embraer mudou de fornecedor de estofados. Com isso, as novas poltronas não usam Cromo VI no processo de fabricação de couro.

Extintores de incêndio

As emissões dos extintores de halon tradicionais são conhecidas por destruir a camada de ozônio. Há uma década, a Embraer começou a transição para extintores sem halon em cabines e banheiros de aeronaves recém-produzidas.

Os E2s já nasceram com extintores de incêndio mais ecológicos, carregados com agentes substitutos do halon. Eles têm baixo potencial de aquecimento global e nenhuma substância destruidora da camada de ozônio.

Fabricação Aditiva

Muitas peças da cabine – grades de ar condicionado, unidades de proteção de chicotes, flanges de vaso sanitário com sucção e dutos de ar – são produzidas com impressoras 3D, no processo chamado de Fabricação Aditiva. Ele reduze o peso das pelas em 40% e o desperdício de material em 65%.

Iluminação LED

As lâmpadas fluorescentes e halógenas foram substituídas por lâmpadas LED de baixa voltagem, sem mercúrio, mais duradouras, sem emissão de radiação e que economizam energia.

Tapetes

Os tapetes dos E2 são feitos a partir de materiais recicláveis ​​usando o sistema de regeneração ECONYL. Em vez de usar matérias-primas fósseis, os tapetes são refeitos a partir de carpetes semiacabados descartados, recuperados e tosados, e até mesmo de resíduos de plástico e náilon, como redes de pesca, recuperados em todo o mundo.

Informações da Embraer

Murilo Bassetohttp://aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias